o-que-e-sitemap

O que é um Sitemap? Entenda sua importância para o SEO

Você já ouviu falar sobre isso.

Você sabe que é importante.

Mas o que é um sitemap exatamente? E por que você precisa de um?

Quer saber tudo sobre sitemap mas está sem tempo para ler? Aperte o play e ouça o artigo!

Na verdade é bem simples. Você pode até configurá-lo facilmente no WordPress.

Neste post vamos te explicar o que é sitemap e tudo o que você precisa saber.

O que é um sitemap?

Na verdade, existem alguns tipos diferentes de sitemaps, como um visual que você pode criar antes de construir um site, mas vamos nos concentrar no que é mais importante para SEO.

Esse tipo de sitemap é conhecido como um sitemap XML. É simplesmente uma lista das páginas do seu site. Ele é o que o nome sugere: um mapa para o seu site. Mostra onde estão todas as páginas no seu site.

Veja o que o Google tem a dizer sobre os sitemaps:

“Um sitemap é um arquivo no qual você pode listar as páginas do seu site para informar o Google e outros mecanismos de pesquisa sobre a organização do conteúdo do seu site. Os indexadores da web de mecanismos de pesquisa, como o Googlebot, leem esse arquivo para rastrear de maneira mais inteligente seu site.”

Isso também nos diz por que um sitemap é importante: ele informa os mecanismos de pesquisa sobre o conteúdo que você tem em seu site para que eles possam encontrá-lo mais facilmente e quando foi atualizado pela última vez.

Um mecanismo de pesquisa encontrará a página 9 em um sitemap imediatamente, dentro de uma visita do arquivo. No site ilustrado acima, ele terá que passar por 6 páginas da web para encontrar a página 9. | Fonte: Spotibo.

Claramente, um sitemap é uma ferramenta de SEO importante. Como o Google (ou qualquer outro mecanismo de pesquisa) conseguiria enviar tráfego para seu site se não soubesse sobre seu conteúdo?

Quais sites precisam de um sitemap XML?

A documentação do Google diz que os sitemaps XML são benéficos para “sites realmente grandes”, para “sites com grandes arquivos”, para “novos sites com apenas alguns links externos” e para “sites que usam conteúdo rich media”.

Apesar de embora concordar que esses tipos de sites definitivamente se beneficiarão mais de ter um sitemap em XML, ele também pode ser benéfico para todos os sites.

Cada site precisa que o Google possa encontrar facilmente as páginas mais importantes e saber quando elas foram atualizadas pela última vez, e é por isso que esse recurso está incluído em plug-ins como o Yoast SEO, por exemplo.

Um sitemap é útil para você, se:

  • Você tem um site grande: um site com 100 páginas não é grande. Mesmo um site com 1.000 páginas ainda é muito pequeno e um sitemap não é realmente necessário. Para sites maiores, no entanto, você deve definitivamente considerar isso. Você tem um milhão de páginas? Então você precisa de um sitemap.
  • Você tem um novo site: um sitemap ajuda os rastreadores a encontrar um novo site logo após o lançamento e a indexar as novas páginas com muito mais rapidez.

  • Você altera o conteúdo de seu site com frequência.

  • Você precisa indexar seu novo conteúdo com muita rapidez: um sitemap ajuda a acelerar a indexação de páginas recém-adicionadas depois de adicioná-las ao sitemap, especialmente quando o site está no Google Notícias.

Você não precisa de um sitemap se seu site for:

  • De apenas uma página
  • Um site de portfólio
  • Site de uma organização
  • SaaS

Não se esqueça: se um blog é parte do seu site, você deve usar um feed RSS para ele.

Leia também: Conheça os melhores plugins WordPress indispensáveis em 2018.

Quais são os diferentes tipos de Sitemaps?

Antes de começar a pensar em como codificar e implementar sitemaps, você precisa escolher o tipo certo de sitemap para atender às suas necessidades. Aqui está a tabela completa:

Tipo de sitemap Propósito Onde usar
XML sitemap Melhor indexação de páginas HTML linkadas Site novo ou extenso com navegação complexa
Image XML sitemap Extensão para imagens Site com conteúdo de imagem importante
Video XML sitemap Extensão para vídeo Site com conteúdo em vídeo
Mobile XML sitemap Extensão para páginas de versão para celular Site com uma versão para celular localizada em um URL separado, sem anotações em HTML
Sitemap XML de idioma alternativo Extensão para páginas em idiomas alternativos Site com mais variação de idioma, mas sem fornecer o atributo hreflang no código HTML ou no cabeçalho HTTP
Google News Sitemap Indexação rápida de notícias Site envolvido no Google Notícias
RSS feed / Atom Sites HTML mais recentes ou atualizados, imagens Site com conteúdo adicionado frequentemente ou atualizado
mRSS Extensão de vídeo RSS Site com conteúdo de vídeo adicionado frequentemente ou atualizado

Quais páginas devem estar no seu sitemap XML?

Como você decide quais páginas incluir em seu sitemap XML? Comece sempre pensando na relevância de um URL: quando um visitante chega a um URL específico, é um bom resultado? Você deseja que os visitantes acessem esse URL? Se não, provavelmente não deveria estar nele.

No entanto, se você realmente não quiser que o URL seja exibido nos resultados da pesquisa, será necessário adicionar uma tag “noindex, follow”. Deixá-lo fora do sitemap XML não significa que o Google não indexará o URL. Se o Google conseguir encontrá-lo seguindo os links, o Google poderá indexar o URL.

Exemplo 1: um novo blog

Digamos, por exemplo, que você está começando um novo blog. Você deseja que o Google encontre novas postagens rapidamente para garantir que seu público-alvo encontre seu blog no Google. Por isso, é uma boa ideia criar um sitemap em XML desde o início.

Você pode criar um punhado de primeiras postagens e categorias para elas, bem como algumas tags para começar. Mas ainda não haverá tipos de conteúdo suficiente para preencher as páginas de visão geral das páginas de tags, tornando-as “conteúdo restrito” que não são valiosas para os visitantes – ainda.

Nesse caso, você deve deixar os URLs da tag fora do sitemap por enquanto. Defina as páginas de tags como “noindex, follow” porque você não quer que as pessoas as encontrem nos resultados de pesquisa.

Exemplo 2: Mídia e imagens

O sitemap XML de “mídia” ou “imagem” também é desnecessário para a maioria dos sites. Isso ocorre porque suas imagens provavelmente são usadas em suas páginas e postagens.

Por isso, elas já serão incluídas em seu sitemap de “postagem” ou “página”. Portanto, ter um sitemap separado de “mídia” ou “imagem” seria inútil e recomendamos que você o exclua.

A única exceção a isso é se as imagens são o seu negócio principal. Os fotógrafos, por exemplo, provavelmente vão querer mostrar um sitemap em XML separado para “mídia” ou “imagem” para o Google.

Benefícios de SEO dos sitemaps

  • Indexação mais rápida: o mecanismo de pesquisa descobrirá novas páginas com muito mais rapidez, portanto, o processo de indexação e a exibição do site nos resultados de pesquisa também serão mais rápidos. Os Sitemaps também podem ajudar você com a desindexação.
  • Melhor indexação de páginas profundas: os mecanismos de pesquisa podem descobrir as páginas que não foram descobertas durante o rastreamento do site. Mas isso não significa necessariamente que todos eles serão indexados.
  • Monitoramento de páginas indexadas: em combinação com o Google Search Console, é possível descobrir quais URLs são cobertos no sitemap indexado pelo Google.
  • Aprender sobre seus visitantes: Você pode aprender muito monitorando seus relatórios de sitemap. Erros serão exibidos para que você possa corrigir fontes de tráfego e até mesmo buscas por palavras-chave. Usar essas informações pode ajudar você a melhorar seu conteúdo e atrair mais tráfego.
  • É gratuito: As melhores coisas da vida vêm em pequenas porções e são grátis! Sim, enviar seu sitemap para o Google não custa um centavo, basta fazer!

Que tal aprender mais formas de engajar seu público com seu conteúdo digital? Baixe nosso Kit de Engajamento e aprenda insights atuais de marketing digital para aplicar na sua estratégia.

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *