O que é Link Building e por que ele é importante?

o-que-e-link-building

Independente de você ser novato em link building ou estar fazendo isso há algum tempo, temos certeza de que encontrará algo útil neste guia.

Se você quer saber o que é link building mas já vai desistir de ler por falta de tempo ou disposição, não desista. Aperte o play e ouça o artigo na íntegra!

A paisagem do SEO e do link building está sempre mudando e a importância de construir links de alta qualidade nunca foi tão grande como atualmente.

A necessidade de entender e implementar campanhas de alta qualidade é essencial para competir e prosperar online e isso não mudará tão cedo.

Este guia foi projetado para você avancar rapidamente e na direção certa. Há muito o que fazer, mas dividimos tudo em partes fáceis de entender. Esperamos que você goste e termine entendendo o que é link building e como montar sua estratégia!

O que é Link Building

O link building é o processo de aquisição de hiperlinks de outros sites para o seu próprio. Um hiperlink (geralmente chamado de link) é uma forma de os usuários navegarem entre as páginas da internet.

Os mecanismos de pesquisa usam links para rastrear a web; eles rastreiam os links entre as páginas individuais de seu site e rastreiam os links entre sites inteiros.

Existem muitas técnicas para construir links, e embora a dificuldade varie entre elas, os SEOs tendem a concordar que o link building é uma das partes mais difíceis de seus trabalhos.

Muitos SEOs passam a maior parte do tempo tentando fazer isso bem. Por essa razão, se você pode dominar a arte de construir links de alta qualidade, isso pode realmente colocá-lo à frente de outros SEOs e de sua concorrência.

Por que o link building é importante para o SEO?

A anatomia de um hiperlink

Para entender a importância do link building, primeiro é importante entender o básico de como um link é criado, como os mecanismos de pesquisa veem os links e o que eles podem interpretar a partir deles.

anatomia-do-link

  1. Link tag: chamada de tag âncora (daí o “a”), isso abre a link tag e informa aos mecanismos de pesquisa que um link para alguma outra coisa vem a seguir.
  1. Link referral location: o “href” significa “referência de hiperlink” e o texto dentro das aspas indica a URL para a qual o link está apontando. Nem sempre é uma página da web; pode ser o endereço de uma imagem ou um arquivo para download. Ocasionalmente, você verá algo diferente de uma URL, começando com um sinal #. Esses são links locais, que levam a uma seção diferente da página em que você já está.
  1. Texto visível/âncora do link: esse é o pequeno texto que os usuários veem na página e no qual precisam clicar se quiserem abrir o link. O texto geralmente é formatado de alguma forma para destacá-lo do texto que o envolve, muitas vezes com cor azul e/ou sublinhado, indicando aos usuários que é um link clicável.
  1. Encerramento da link tag: sinaliza o final da tag de link para os mecanismos de pesquisa.

O que os links significam para os mecanismos de pesquisa

Existem duas maneiras fundamentais pelas quais os mecanismos de busca usam links:

  1. Para descobrir novas páginas da web;
  2. Para ajudar a determinar quão bem uma página deve ser classificada em seus resultados.

Depois que os mecanismos de pesquisa rastreiam as páginas na web, eles podem extrair o conteúdo dessas páginas e adicioná-lo a seus índices.

Dessa forma, eles podem decidir se uma página tem qualidade suficiente para ter uma boa classificação para palavras-chave relevantes (o Google criou um pequeno vídeo para explicar esse processo).

Quando estão decidindo isso, os mecanismos de busca não olham apenas para o conteúdo da página. Eles também analisam o número de links que apontam para essa página de sites externos e a qualidade desses sites externos.

De um modo geral, quanto mais sites de alta qualidade se conectam a você, maior a probabilidade de você classificar bem nos resultados de pesquisa.

Links como um fator de classificação foi o que permitiu que o Google começasse a dominar o mercado de mecanismos de busca no final dos anos 90.

Um dos fundadores do Google, Larry Page, inventou o PageRank, que o Google usava para medir a qualidade de uma página com base, em parte, no número de links que apontavam para ela.

Essa métrica foi então usada como parte do algoritmo geral de classificação e se tornou um sinal forte, porque era uma maneira muito boa de determinar a qualidade de uma página.

Mais recentemente, o Google penalizou ativamente os rankings de sites que tentaram o uso excessivo de técnicas – muitas vezes chamadas de otimização excessiva – em seu link building.

As atualizações regulares do Google, como a Penguin, são um exemplo disso. Saber quais técnicas de criação de links devem ser evitadas e permanecer dentro das diretrizes do Google é um assunto importante que discutiremos mais adiante neste guia.

Não conhecemos o algoritmo completo que o Google usa para determinar seus resultados de pesquisa. Esse é o “molho secreto” da empresa.

Apesar desse fato, o consenso geral entre a comunidade de SEO (de acordo com a pesquisa de fatores Ranking Factors do SEMRush de 2017) é que os links ainda desempenham um grande papel nesse algoritmo.

O que você precisa saber sobre ‘nofollow’

Há um atributo que às vezes pode ser aplicado aos links chamados de atributo “nofollow”. Se adicionado, você não notará nenhuma diferença se você for um usuário. Mas, se você olhar o código do link, ele parecerá um pouco diferente:

nofollow-link-building
Observe a adição de rel=”nofollow”. Isso diz ao Google para não passar nenhum PageRank neste link para a URL de destino. Efetivamente, você está dizendo ao Google que não confie neste link e não o leve em consideração. Portanto, não deve ajudar o URL de destino a se classificar melhor.

A principal razão pela qual um site pode usar o nofollow se relaciona com cenários em que esse site não tem controle total sobre os links que são adicionados às suas páginas.

Em outras palavras, eles não querem mostrar ao Google um voto de confiança quando não sabem se são realmente confiáveis ou não. Isso é mais comum do que você imagina.

Aqui estão alguns exemplos:

  • Comentários do blog
  • Postagens de fórum
  • Comentários de guest book
  • Páginas editáveis ​​(por exemplo, Wikipédia)
  • Yahoo! Respostas
  • Assinaturas de guest posts

Os usuários podem adicionar livremente links para cada um desses lugares e, devido ao seu tamanho, não é realmente prático moderar cada um desses links.

Portanto, para impedir que os spammers de links tirem proveito do PageRank de um site, o site geralmente aplicará o atributo nofollow a todos os links postados por outros usuários.

Outro uso para o atributo nofollow é para os anunciantes usarem nos links que foram pagos.

Então, se você comprar um banner de publicidade em um site que tenha links para você, o Google diz que o atributo nofollow deve ser adicionado para que eles não passem nenhum PageRank nesse link.

A ideia aqui é que você não deve se beneficiar dos resultados orgânicos comprando anúncios que incluam links em outros sites.

Mais recentemente, o Google expandiu esse conceito para incluir links otimizados em press releases, diretórios de artigos para blog e publicidade. Estes são todos exemplos onde o uso de nofollow é inteiramente apropriado.

Em termos de trabalho, você deve saber que os links que têm o atributo nofollow aplicado provavelmente não ajudarão suas classificações de pesquisa orgânica tão diretamente quanto os links seguidos.

Isso não quer dizer que não valham a pena. Afinal de contas, os usuários comuns não percebem se um link é nofollowed ou não, e podem realmente clicar e visitar seu site, mesmo que seja. Afinal, esse é o ponto de comprar anúncios online.

Dito isso, para fins de link building, você deseja que a maioria de seus links sejam seguidos e, portanto, contados pelo Google.

Ferramentas para fazer link building

Majestic SEO

É uma ferramenta abrangente de análise de backlinks. Há muitos detalhes sobre seu site ou sobre o site de seu concorrente que você não encontrará em outro lugar.

Usando a ferramenta Majestic, você pode analisar links em todo o site, tanto externos como internos.

  • Redirecionamento de URL – quantos URLs em um site estão redirecionando para páginas diferentes.
    Análise de domínio de referência – descubra quais domínios estão se referindo a um site específico.
  • Análise de texto âncora – isso ajudará você a descobrir qual texto âncora foi usado para vincular seu conteúdo.

BuzzStream

Usando o Buzzstream, você pode construir relacionamentos com outros editores de conteúdo e realizar campanhas de divulgação.

É uma ferramenta de link building bastante eficiente para criar um buzz em torno de um produto/serviço.

  • Você pode pesquisar influenciadores.
  • Adicionar membros da equipe para se comunicar e gerenciar a campanha.
  • Alcance influenciadores e acompanhe isso.
  • Construa relacionamentos com eles para novas oportunidades de link building.

MozBar

A MozBar é uma extensão gratuita do Google Chrome. Esta ferramenta pode ajudar você a pesquisar o site de um concorrente em qualquer lugar.

É uma ferramenta de link building muito útil que você não vai viver sem, uma vez que você experimentar.

Encontre e destaque palavras-chave em uma página e diferencie os backlinks por tipo: Seguido, Nofollowed, Externo ou Interno.

Além disso, você pode checar gratuitamente a Autoridade de Domínio e Autoridade de Página, ferramentas famosas da Moz, por meio dessa extensão do Google Chrome.

Leia também: Ferramentas de SEO para blog: 9 opções simples e gratuitas.

Gostou do post? Agora que você sabe o que é Link Building, aproveite e aprenda como conseguir backlinks de qualidade para o seu site, neste outro post do blog.

Sua empresa está em busca de novidades para avançar nas estratégias de Marketing Digital? Baixe nosso Kit de Engajamento e confira dados atuais sobre o mercado digital que farão a diferença na elaboração da sua estratégia.


Deixe uma resposta