Produção de conteúdo digital: como elevar o nível do seu marketing de conteúdo

producao-conteudo-digital

Se você trabalha com produção de conteúdo digital, em estágio avançado ou intermediário de Marketing de Conteúdo, é altíssima a probabilidade de você estar negligenciando um comportamento importante da sua persona.

Você pode pensar: “Eu não. Estudei como criar minha persona extensivamente, durante meses.”

Mas será mesmo? Minhas pesquisas indicam o contrário.

E digo mais: os indícios são tão fortes e nítidos que eu larguei meu emprego anterior para fundar uma startup que resolve esse problema negligenciado na produção de conteúdo digital.

Vou jogar limpo com você sobre esse assunto e mostrar como cheguei a essa conclusão, pois é algo alarmante para todo mercado.

Com a produção de conteúdo digital cada dia mais em alta, você não quer ficar pra trás certo? Então, vamos começar entendendo o problema.

O problema é real: somos a prova disso

Como disse, fundei uma startup (junto com o Mateus, meu sócio) que resolve o problema que a maioria dos profissionais de Marketing de Conteúdo está negligenciando.

Em menos de dois anos nossa empresa:

Ou seja, o problema é real, se não a gente não teria conquistado tudo isso, concorda?

Do começo: persona

Todo profissional de Marketing de Conteúdo que se preze está rotineiramente focado na sua persona. Esse é um grande desafio, pois todos temos nossos vícios de comportamento, de linguagem, de pensamento e assim por diante.

Logo, se colocar na mentalidade e na rotina de uma outra pessoa é realmente desafiador.

André Mousinho, especialista de Marketing de Conteúdo na Rock Content, resumiu essa questão muito bem:

“A princípio topei a parceria um pouco relutante, sem colocar muita fé. Porém, não faria sentido dizer não sem testar e ver a reação da minha persona. Afinal, o blog é para ela e não para mim.”

Por mais desafiador que seja, é fácil descobrir várias coisas relevantes sobre a sua persona. Basta fazer testes, pesquisas ou procurar por pesquisas públicas já executadas.

A gente entrou nessa história toda por causa de uma única pesquisa e alguns testes. Foi assim que descobrimos a grande negligência do mercado de conteúdo que vou contar já, já.

Pesquisa: revelação ou confirmação?

Ao fazer pesquisas, é preciso ter muito cuidado para não ser tendencioso. É uma linha tênue entre buscar uma revelação, estar aberto a descobertas e quebrar paradigmas ou querer muito confirmar uma forte suspeita sua.

Você pode elaborar pesquisas e contar com a sua rede de contatos para ter uma base de respostas relevante. Também pode contratar empresas especializadas ou procurar por pesquisas públicas.

Essa última opção é das mais ignoradas. Às vezes, o profissional de Marketing de Conteúdo fica tão focado na sua persona, no seu nicho, que esquece que existem questões macro que influenciam o seu nicho de mercado.

Impactos macro

As questões macro podem ser relacionadas ao comportamento das pessoas. Por exemplo, a popularização de smartphones impacta diretamente o comportamento.

Esse impacto pode ser tão generalizado que irá afetar inúmeros nichos. Quanto mais macro o impacto, maiores as chances da sua persona também ser afetada.

Nesse exemplo da popularização de smartphones, você não precisa fazer uma pesquisa específica da sua persona para saber as chances dela ter um smartphone.

Para isso, já existem pesquisas públicas que revelam esse cenário no Brasil, como uma pesquisa da FGV, que revela que existem mais de 220 milhões de smartphones ativos no país.

A descoberta que fizemos em nossa primeira pesquisa é justamente nessa linha. É algo que afeta tão fortemente a tantas pessoas – homens e mulheres, de diferentes faixas etárias – que eu tenho certeza que a maior parte do seu público-alvo também é impactada por esse problema.

A descoberta: algo pior do que você poderia imaginar

Você que trabalha com conteúdo sabe da força dessa estratégia quando bem elaborada e executada.

Blogs saem do anonimato e alcançam centenas de milhares, se não milhões de visitas mensais, com a força do tráfego orgânico de seus posts.

Mas e se você descobrisse:

  • que seu conteúdo está sendo subutilizado?
  • que sua estratégia de conteúdo, que funciona e tem ROI positivo, está focada na minoria do seu público-alvo?

Você continuaria fazendo tudo exatamente igual?

Para romper um paradigma e provar que o mercado de Marketing de Conteúdo está anos atrasado em relação ao comportamento das pessoas, nós fizemos uma pergunta objetiva para centenas de pessoas:

Você consegue ler tudo que gostaria na internet?

E eis que a voz do povo revelou a verdade que a maioria dos profissionais de Marketing de Conteúdo está negligenciando:

83% das pessoas não leem tudo que gostaria na internet.

Isso mesmo. Homens, mulheres, jovens, adultos e pessoas da terceira idade. A maioria absoluta das pessoas não dá conta de fazer a leitura na internet de tudo que gostariam.

Sabe aquele post épico que vai atrair milhares de visitas do seu público-alvo?

  • 83% dessas visitas serão fogo de palha, pois 83% das pessoas não vão ler seu post épico mesmo estando interessadas nele.
  • 83% das pessoas ignoram seus textos mesmo tendo interesse. É algo surpreendente e assustador.

Esse é o resultado atualizado da nossa pesquisa de 2018 – em 2016, essa taxa era de 73%.

Aprofundando os números: os motivos

Se você está duvidando desse número preocupante, sugiro que você faça um breve exercício.

Pergunte às pessoas da sua equipe, amigos e familiares: você consegue ler tudo que gostaria na internet? Não adianta ignorar ou duvidar do problema, ele existe mesmo se você não souber.

O melhor a se fazer é surfar na onda que o problema traz e descobrir uma oportunidade. Digo isso com base nos motivos das pessoas para não conseguirem manter seu hábito de leitura elevado:

  • 35% não conseguem ler tudo o que gostariam na internet porque existe muito conteúdo interessante.

Isso é ótimo! É sinal de que os profissionais de conteúdo estão produzindo textos realmente interessantes e as pessoas estão conseguindo encontrar esses materiais.

  • 28% não conseguem ler tudo o que gostariam na internet por falta de tempo.

Esse motivo e o anterior andam de mãos dadas. São praticamente a mesma coisa, já que o excesso de conteúdo é refletido como falta de tempo e a falta de tempo existe pelo excesso de conteúdo.

Por último:

  • 30% não conseguem ler tudo o que gostariam na internet por preguiça ou falta de disposição.

Caso você ainda esteja preocupado, não fique. Todas essas pessoas que afirmam não dar conta de ler o que gostariam estão afirmando estarem interessadas nos conteúdos.

Se você prestou bastante atenção até aqui, já deve ter entendido o real problema: o formato do conteúdo e não o conteúdo em si. O problema é a limitação do formato texto.

Produção de conteúdo digital: formato vs. conteúdo

Se a pessoa está interessada em um texto e mesmo assim não o lê, não adianta tentar fazer seu texto ser ainda mais atraente.

Técnicas de copywriting, de redação, formatação do texto e muitas outras coisas influenciam no quanto um material será lido, é claro. Mas a força desses elementos tem um limite.

De um determinado ponto em diante, não importa o quão interessada a pessoa está, ela simplesmente vai colocar na balança e ver que não tem tempo ou energia para tal leitura.

Saber fazer e identificar um conteúdo de qualidade não basta. Também é preciso se aprofundar sobre os formatos de conteúdo.

Vivemos em uma era multimídia e os mais de 220 milhões de smartphones no Brasil podem reproduzir inúmeros formatos de conteúdo.

A solução: a voz humana

Se juntarmos todas as peças que apresentei até aqui, a solução parece até óbvia.

Se uma pessoa não tem tempo para ler um texto, então outra pessoa poderia ler para ela em voz alta.

E por que não aplicar o mesmo conceito ao Marketing de Conteúdo?

É aqui que entra a tecnologia do Vooozer, a startup que eu citei lá no começo.

Uma solução completa com preços acessíveis que permite que qualquer empresa ofereça conteúdos em áudio no seu site ou blog. Tudo em poucos cliques, sem muitos pré-requisitos técnicos e sem dor de cabeça.

Afinal, se 83% das pessoas desistem da leitura mesmo estando interessadas, faz todo sentido oferecer um formato de conteúdo que possua vantagens em relação ao texto.

Esse formato é o áudio.

É através da voz humana que estamos suprindo as limitações do texto. Através da nossa metodologia 2PL de Posts em Áudio:

  • batemos mais de 400.000 reproduções de posts em áudio para os nossos clientes;
  • aumentamos em 10% o Tempo Médio na Página de posts da Rock Content;
  • aumentamos em 7% a captura de leads do blog da Resultados Digitais.

Audio Marketing: seu novo melhor amigo

A estratégia que usa a voz como recurso de marketing é chamada de Audio Marketing. Afinal, estamos falando de negócio aqui não é mesmo? E esta pode ser a estratégia perfeita, seja para começar ou reestruturar a produção de conteúdo digital do seu negócio.

A força do áudio é tão predominante que muitas tecnologias usam os comandos de voz de forma inovadora. Produto como a Siri assistente de voz do iPhone, o Audible a plataforma de audiobooks da Amazon – que mudou a leitura virtual nos EUA – e o Google Home são alguns exemplo.

E, claro, não poderíamos esquecer do bom e velho podcast. Dentre outras plataformas de áudio.

Trazer o Audio Marketing para a realidade do seu negócio é criar um novo vínculo com a sua persona. É uma forma de sanar de vez a sua maior dor: falta de tempo para ler.

Com os posts em áudio, você abre a possibilidade de seu público conciliar duas atividades ao mesmo tempo. Por exemplo: ouvir um post e se concentrar nas edições de uma foto.

Nossa pesquisa de campo mostrou ainda que quando uma pessoa começa a ouvir um post em áudio, há 34% de chance dela ouvir o conteúdo inteiro. Na média, posts em áudio engajam visitantes por 3 minutos.

Conclusão: e agora?

Sabe quando sua persona está dirigindo no trânsito e não consegue ler? Ela pode ouvir.

Ou quando ela está andando na rua, passeando com o cachorro ou indo para o trabalho e não consegue ler. Ela pode ouvir.

Na academia. No metrô. Enquanto cozinha. Ao lavar a louça. E até mesmo de olhos fechados! Ela pode ouvir.

Em todas essas situações sua persona não pode ler textos. Essa é limitação dela, que precisa dos olhos para ler e das mãos para segurar o objeto de leitura.

Mas se a sua persona não pode ouvir os textos do seu blog porque você não publica posts em áudio, a limitação é da sua estratégia. Da sua empresa.

E essa responsabilidade já sabemos de quem é: do profissional de Marketing de Conteúdo.

Consultoria Gratuita de Audio Marketing

Se você chegou até aqui, está interessado em resolver esse problema, certo?

Você quer converter esses 83% em leitores ativos e fieis da produção de conteúdo digital que sua equipe cria com tanta afinco.

Pode contar com a nossa ajuda!

Uma parte importante do trabalho aqui no Vooozer é desbravar o Audio Marketing no Brasil e informar ao mercado aquilo que testamos e validamos com nossos parceiros.

O comportamento das pessoas mudou e o mercado pode (e precisa) reagir. Temos parceiros referências de mercado e dezenas de clientes que atestam a validade da nossa metodologia 2PL.

Vamos começar hoje mesmo a mudar essa realidade para seu blog/site também? Marque uma consultoria gratuita de Audio Marketing com nossos especialistas. Será um prazer te ajudar a alcançar suas metas de marketing!


Deixe uma resposta