podcast-marketing-digital

Podcasts de marketing digital que profissionais bem sucedidos devem ouvir

Você sabia que o usuário médio de internet gasta quase duas horas navegando nas redes sociais diariamente? É uma quantidade de tempo incrível dedicada a plataformas como Twitter, Facebook, Instagram, Snapchat e a lista continua.

Sem tempo para ler? Aperte o play e ouça o artigo!

O ponto é: se você quiser ser bem sucedido no mundo de hoje, você precisa entender como usar os vários princípios de marketing digital a seu favor.

É claro que a melhor maneira de entender o marketing digital e obter as habilidades necessárias é fazer um curso e ser certificado.

Mas, com as tendências do mundo digital evoluindo o tempo todo, os podcasts de marketing digital também oferecem uma maneira divertida, conveniente e eficaz para manter-se atualizado.

Há muitos por aí – e alguns são melhores que outros – então, para ajudá-lo a separar o joio do trigo, aqui estão 6 podcasts de marketing digital – quatro brasileiros e dois gringos (pra você, de quebra, afiar o inglês!).

Aperte o play: 6 podcasts de marketing digital

Os nacionais

1. Mídia, não Marketing

O Mídia, não Marketing começa nossa lista de podcasts de marketing digital que você não deve perder.

Quem está à frente do microfone é Daniel Z. Chohfi. O conteúdo didático, rico e descontraído dialoga tanto com empreendedores, quanto profissionais da área de marketing e comunicação.

Os podcasts abordam, principalmente, maneiras de atrair mais clientes ou como abrir seu próprio negócio, dando dicas e orientações para ter sucesso no mundo do marketing digital.

2. De Cabeça

Nossa próxima indicação de podcast de marketing digital nacional é o De Cabeça. Nesse podcast, quem comanda a conversa é a dupla Eric Menau e Bruno Moreira.

Se você é iniciante no universo cheio de possibilidades do marketing digital, quer abrir o próprio negócio ou apenas aprimorar seus conhecimentos na área, pode começar a acompanhar já!

Semanalmente, o De Cabeça traz dicas, orientações e discute as principais tendências de marketing e também sobre o que está em alta no mercado. E uma vez por mês um convidado especial se une a equipe para compartilhar mais ideias.

3. Braincast

Este pode ser que você já conheça, pois é o podcast do famoso site Brainstorm #9. O Braincast tem um elenco grande: Carlos Merigo, Luiz Yassuda, Luiz Hygino, Cris Dias, Guga Mafra e Alexandre Maron comandam os papos sobre diversos temas ligados ao marketing digital. E eles ainda abrem espaço para convidados agregarem suas ideias.

O diferencial é a base de conhecimento de cada um dos convidados que sempre trazem o tema discutido afiado e opiniões realmente embasadas. Com uma rede de colaboradores e ouvintes fiéis são produzidos mais de 40 programas por ano.

4. SEOcast

Como o próprio nome já revela, os podcasts liderados por Vicente Sampaio são voltadas para Search Engine Optimization (SEO) – em bom português, otimização para mecanismos de busca.

Entre os temas abordados no SEOcast estão a otimização de sites, dicas para obter um melhor posicionamento nas pesquisas e como chegar na desejada primeira posição. Outros temas como backlinks, link building, entre outros também fazem parte da lista.

Imperdível para quem quer se especializar ou já está ligado nessa área.

Leia também: Como fazer storytelling: 11 técnicas para uma história de marca incrível.

Os gringos

5. This Old Marketing

A primeira dica gringa de podcast de marketing digital é o This Old Marketing.

Joe Pulizzi e Robert Rose têm uma dinâmica fantástica no ar que faz você se sentir como se estivesse falando de fazer compras com os amigos a cada semana.

Rose começa cada episódio com uma introdução-monólogo que relaciona as tendências atuais de marketing aos momentos culturais.

Este é o podcast para ouvir se você quiser combustível para conversas informais em torno do bebedouro, em uma entrevista ou em um palco de conferência.

Espere brincadeiras espirituosas, insights inestimáveis, fatos fascinantes e uma compreensão resultante da potência da boa narrativa no clima digital acelerado de hoje.

6. The #AskGaryVee Show

Gary Vaynerchuk não precisa de apresentação. Seu podcast tem um estilo rápido de perguntas e respostas, que é alimentado por dúvidas dos leitores enviadas pelas redes sociais, e repleto de insights.

Ele cobre negócios, mídia social, marketing, empreendedorismo e muito mais em cada episódio. Uma curiosidade é que Gary lançou um livro – chamado #AskGaryVee – composto por suas melhores respostas de histórias enviadas ao podcast com informações atualizadas refletindo as últimas tendências.

Este é um podcast rápido, repleto de percepções diversas e a energia que é a marca registrada de Vaynerchuck, que o deixará animado com seus esforços de marketing.

[BÔNUS] GrowthCast

Esse é um dos mais novos podcasts de marketing digital da lista, mas também um dos mais promissores. Nele, Max Peters, co-fundador da CopyExperts, entrevista os grandes nomes do growth hacking do Brasil, assim como empreendedores que estão fazendo bonito. Toda quinta-feira tem um episódio novo no ar.

Tem outros podcasts de marketing digital que ajudam você a acompanhar as últimas tendências da área? Compartilhe sua dica com a gente nos comentários.

Conteúdo em áudio no seu blog

Assim como você, quantas pessoas procuram conteúdos em áudio para se especializar?

Você sabia que 70% das pessoas não conseguem ler tudo que gostariam na internet?

Por isso o Vooozer nasceu e vem ganhando força nos maiores blogs do Brasil como Endeavor, Resultados Digitais e Rock Content.

Incluir a plataforma de áudio do Vooozer no seu blog/site acrescenta várias vantagens competitivas na sua estratégia de marketing digital como:

  • Distribuir os conteúdos de forma mais fácil através da narração em áudio;
  • Maior engajamento com o conteúdo pelos visitantes;
  • Transformar esses visitantes em leads através da captura de e-mail pelo formulário no player;
  • Monitorar o consumo de conteúdo desses leads a fim de segmentar os leads e abordá-los para venda no momento correto.

Se você também busca melhorar sua meta de conversão de leads, o time on page do seu blog ou o engajamento dos seus visitantes, conheça a metodologia do Vooozer.


estratégias de inbound marketing

Como construir uma estratégia de inbound marketing em 24 horas

“Sou ativo nas mídias sociais.”
“Estou blogando regularmente”.
“Estou usando as melhores práticas de SEO”.
“Sinto que estou fazendo tudo certo, mas não estou vendo resultados”.

Alguma dessas afirmações soa familiar? Muitos profissionais de marketing e CEOs sentem que estão fazendo as coisas certas, mas não estão alcançando seus objetivos.

Não deixe de ler um conteúdo do seu interesse por falta de tempo. Aperte o play e ouça o artigo na íntegra!

Uma pesquisa da DM News confirmou como esse pensamento é comum. 46% dos executivos entrevistados afirmaram que a “falta de uma estratégia eficaz” era o maior obstáculo para atingir suas metas de inbound marketing.

Então, o que não está dando certo? É difícil dar uma resposta geral que se encaixe em todos os negócios. Então, vamos dar alguns passos para trás e voltar na raiz da questão.

Neste post, vamos te mostrar como montar uma estratégia de inbound marketing bem estruturada e superar esse obstáculo…nas próximas 24 horas. Vamos começar!

O que é estratégia?

Primeiramente, antes de começar a traçar estratégias de inbound marketing, vamos identificar o que é estratégia.

Estratégia é simplesmente um plano de ação projetado para alcançar um objetivo esperado.

Então, precisamos de um objetivo para começar. Para o propósito deste artigo, digamos que nosso objetivo seja gerar 50 leads qualificados por mês para a equipe de vendas.

Um objetivo digno.
Agora, precisamos de um plano de ação que nos leve até ele.

Observação: você pode ter uma meta de inbound marketing diferente. Portanto, aplique essa mesma estrutura para voltar atrás de sua meta e plano de atividades.

Identifique o público

Se vamos gerar 50 leads qualificados por mês para a equipe de vendas, precisamos definir o que é um “lead de qualidade”. Vamos fingir que somos uma empresa de software que fornece um sistema de gerenciamento de projetos para empreiteiros, como telhadistas, eletricistas, encanadores, etc. A equipe de vendas diz que, se conseguir uma solicitação de demonstração, eles consideram um lead de qualidade.

Ok, então agora temos uma audiência e sabemos o que é um lead de qualidade. Estamos nos aproximando de poder construir nosso plano de ação.

Etapas de ação para identificar seu público-alvo:

1- Estabeleça o seu mercado alvo. Exemplo de mercado alvo: Empreiteiros localizados em São Paulo que estão fazendo entre R$ 500.000 e R$ 20 milhões em receita anualmente.

2- Converse com a equipe de vendas e estabeleça o que é um lead de qualidade. Nesse caso, sabemos que precisamos de 50 solicitações de demonstração por mês.

Estimativa de tempo: 2 horas

1- Honestamente, isso deve ser algo que você já conhece (seu mercado-alvo). Mas dê a si mesmo uma hora para conversar com algumas pessoas dentro de sua empresa, leia suas mensagens e estabeleça quem você realmente quer.

2- Dê a si mesmo mais uma hora para falar com alguns representantes de vendas ou com o gerente de vendas da sua empresa. Ou potencialmente, você falará com o proprietário ou presidente. Certifique-se de descobrir exatamente o que será considerado um lead de qualidade.

Identifique onde seu público está online

Uma vez que sabemos quem é o nosso público e qual é o nosso objetivo, precisamos localizar o nosso público. Onde eles estão online? Você vai querer olhar nas mídias sociais, blogs, sites e fóruns. Faça uma lista grande!

Primeiro, mergulhe nas mídias sociais. O LinkedIn é melhor para B2B, então é uma ótima primeira rede para pesquisa. Existem vários grupos, então comece a procurar por grupos cheios do seu público. Uma busca rápida por “telhadistas”, “empreiteiros”, “encanadores” ou “eletricistas” pode trazer ótimos insights. Depois de passar algum tempo pesquisando, uma lista com pelo menos 25 grupos sólidos que têm meu público-alvo é o suficiente.

Em seguida, você pode explorar outras opções de rede social para ver se há alguma específica. Procure por redes sociais que reúnam nichos de profissões e em outras que permitem a criação de grupos como o Facebook.

Além disso, pesquise também no Google por blogs, fóruns e outros sites onde possa encontrar seu público.

Ao final deste processo de pesquisa, você deve facilmente ter de 50 a 100 sites (fóruns, blogs e outros sites), grupos (no LinkedIn ou Facebook) e comunidades (no Google+) em sua lista. Agora estamos chegando a algum lugar! Estamos estreitando a web e localizando os pontos em que queremos gastar nosso tempo e esforço.

Leia também: 5 verdades sobre o funil de vendas B2B.

Etapas de ação para encontrar seu público-alvo:

1- Passe um tempo pesquisando nas mídias sociais, sites, blogs e fóruns por seu público-alvo.

2- Crie uma lista principal com links para esses lugares.

Estimativa de tempo: 4 horas

1- Essa etapa será útil para muitas campanhas de inbound no futuro, por isso gaste cerca de quatro horas fazendo sua pesquisa.

2- Crie a lista conforme você avança na busca.

Identifique Dores, Problemas, Perguntas

Ok, uma recapitulação das etapas da estratégia de inbound marketing que vimos até agora:
– Nosso objetivo
– Quem estamos segmentando
– Onde eles estão online

Agora é hora de procurar as necessidades. Ao fazer sua pesquisa e visitar grupos, sites e blogs com seu público, comece a ouvir. O que isso significa, realmente? Como você ouve? O que você está ouvindo?

O que você quer fazer é ouvir os problemas que seu público está expressando. Você quer anotar as perguntas que eles estão fazendo. Anote as coisas que eles estão reclamando. Você quer ser capaz de falar a língua deles.

Obviamente, você quer identificar os desafios e as dores em torno do produto ou serviço que oferece, mas às vezes você pode obter uma visão realmente poderosa apenas anotando quaisquer questões ou problemas comuns. Você começará a ver algumas tendências.

Essas perguntas, dores e problemas serão essenciais para a criação do conteúdo e das mensagens que abordaremos no próximo tópico.

Etapas de ação para identificar dores, problemas e perguntas:

1- Acesse 10-20 lugares da sua lista principal e comece a copiar e colar as discussões e perguntas do seu público.

Estimativa de tempo: 2 horas

1- Isso deve levar cerca de duas horas, mas não tenha medo de gastar 3 ou 4h, se achar que não está vendo nenhuma tendência.

Crie um calendário de conteúdo

Tudo bem, agora estamos prontos para criar um calendário de conteúdo. A maioria das pessoas quer apressar essa etapa do plano editorial porque parece que você está realizando alguma coisa. No entanto, este passo não valerá muito, se você não tiver dedicado um tempo para sua pesquisa.

Basicamente, agora que temos uma noção com o que nosso público está lidando, podemos fazer um brainstorming de alguns títulos de posts eficazes, talvez alguns tópicos de webinar e definitivamente algumas ideias de e-books.

Se pensarmos em nossa meta de 50 leads qualificados por mês, talvez você esteja se perguntando: “Quantos artigos de blog devo escrever?” ou “Quantas ofertas de geração de leads, como e-books, eu preciso?”.

Falando de forma geral, sem saber quanto de tráfego esse site hipotético está obtendo ou quantos leads ele está gerando atualmente, convém criar 2-3 postagens de blog por semana. Você também pode ter pelo menos dois ou três e-books que possa aproveitar para capturar leads.

Além dos e-books, você poderá criar campanhas de incentivo por e-mail que conduzam os leads para o funil de vendas em direção à meta de uma solicitação de demonstração. Ele irá guiá-lo através das etapas de pegar um lead do e-book e movê-lo para o objetivo.

Etapas de ação para o calendário de conteúdo:

1- Brainstorm de tópicos do blog, e-book e/ou webinar.
2- Mapeie quantos artigos de blog você precisará criar a cada semana.
3- Planeje sua criação de e-books.
4- Planeje suas sequências de nutrição de leads.

Estimativa de tempo: 2 horas

1- Passe 1h debatendo tópicos e títulos.
2- 15 minutos para mapear o calendário do seu blog.
3- 20 minutos para planejar seus e-books.
4- 20 minutos mapeando sua sequência de nutrição de leads.

Crie um plano de divulgação

Seu plano de divulgação é tão importante quanto, senão mais importante, que o seu plano de conteúdo e calendário. A maioria dos profissionais de marketing acha que, assim que eles apertam “publicar”, é hora de começar a trabalhar na próxima peça. Não é verdade! Depois de publicar, é hora de ir trabalhar para promover esse artigo.

Você passou algum tempo escrevendo, editando, encontrando uma foto incrível e colocando uma chamada relevante para a ação. Agora, é hora de focar no público e compartilhar esse conteúdo com eles.

Criar um plano de divulgação será muito mais fácil agora que você tem uma lista mestra de onde sua audiência está. Você poderá compartilhar seus artigos de blog como discussões nos Grupos do LinkedIn, por exemplo.

Você poderá comentar em outros sites e blogs e fazer referência a seu conteúdo de uma forma super relevante, pois sabe exatamente quais são os desafios e dificuldades do seu público. Você poderá criar títulos de blog que são irresistíveis porque você estudou seus problemas e dificuldades.

Seu plano de divulgação deve ter basicamente o tempo que você gasta promovendo o seu artigo para todos os lugares da sua lista principal. Em exemplo pode ser:

Título do post: 5 problemas de gerenciamento de projetos que telhadistas enfrentam e como resolvê-los

  • Crie uma discussão em todos os 20 grupos do LinkedIn e coloque a pergunta “Qual é o seu maior desafio de gerenciamento de projetos agora?”
  • Compartilhe o artigo no Twitter usando as hashtags #gerenciamentodeprojetos #telhadistas #empreiteiros #encanadores. Varie as hashtags. Agende de 10 a 20 tweets nos próximos 30 dias.
  • Entre em alguns fóruns e encontre as discussões em torno do gerenciamento de projetos. Agregue valor à discussão e adicione um link para a postagem do blog como um ponto de referência.
  • Encontre empreiteiros individualmente e envie um e-mail pessoal com um link para o artigo.
  • Envie um e-mail para todos os leads atuais no banco de dados e compartilhe o artigo.

Assim, o seu plano de divulgação será um guia das atividades que você fará toda vez que criar uma postagem no blog. Em seguida, para tópicos específicos, você pode adicionar outras atividades que façam sentido com base no tópico.

Etapas de ação para o calendário de conteúdo:

1- Escreva todas as possíveis atividades de divulgação que você possa ter para uma postagem de blog específica. Cada vez que você publica, vá a essa lista e execute o maior número possível!

Estimativa de tempo: 1 hora

1- Passe uma hora debatendo todas as maneiras de promover um post de blog, um e-book ou uma parte do conteúdo.

Sua estratégia

Há muito trabalho, mas você pode fazer isso…e vai fazê-lo em menos de 24 horas! O tempo total gasto neste processo totaliza 11 horas. Obviamente, seria um longo dia de trabalho para impulsionar essas atividades, mas você estará se preparando para o sucesso nos próximos meses, senão anos.

Se você não puder tirar um dia inteiro para fazer isso, gaste algumas horas por dia durante uma semana e estará tudo pronto.

Seus objetivos e estratégias de inbound marketing mudarão com o tempo, mas essa é uma maneira simples de criar uma estratégia rapidamente e começar a avançar.

Vamos recapitular o que você precisa fazer:

  • Qual é o seu objetivo?
  • Quem você está segmentando?
  • Onde eles estão online?
  • Desenvolver um calendário de conteúdo.
  • Criar uma lista com atividades de divulgação.

Agora você está pronto para começar a criar suas estratégias de inbound marketing. Você pode otimizar várias etapas do processo utilizando um software de automação de marketing e vendas, procure especialistas para te ajudar nessa etapa!

Esse post foi escrito pela  LAHAR, um software de automação de marketing robusto com essas e muitas outras funcionalidades.


ferramentas de e-mail marketing

Conheça 4 das ferramentas de e-mail marketing mais usadas e saiba como torná-las ainda melhores

E-mail marketing é uma importante ferramenta de conversão de leads e vendas para seu negócio. Mas desde que isso seja feito com o devido cuidado e profissionalismo.

O tempo do spam, da compra de listas de e-mails aleatórios, do envio indiscriminado e sem segmentação se foi, sem deixar nenhuma saudade 👋👋👋.

Que tal otimizar sua rotina e ouvir esse artigo ao invés de ler? Aperte o play e aproveite essa comodidade.

Se você quer saber a maneira certa de usar o e-mail para conquistar e fidelizar clientes, conheça 4 das ferramentas de e-mail marketing mais usadas, além de algumas outras que podem fazer com que elas fiquem ainda mais eficientes.

4 ferramentas de e-mail marketing que dão conta do recado

Muito mais que o mero disparo de e-mails e a nutrição de leads, boas ferramentas de e-mail marketing vão além dessas funcionalidades, oferecendo outros recursos importantes.

Confira algumas delas:

1- MailChimp

A ferramenta que tem um ótimo plano gratuito começou como um popular disparador de e-mails e hoje, com certeza, o MailChimp pode ser considerado um software de automação de marketing bem completo.

Para começar, a segmentação das listas de disparo conta com ótimos filtros, como CEP, gênero e o melhor de todos, o rating, que se baseia nas atividades e conversões realizadas pelo lead.

Além disso, sua coleção de templates é excelente, sem falar na possibilidade de fazer testes A/B.

2- LAHAR

Uma startup brasileira que foi considerada a melhor ferramenta de marketing digital de 2017 pela ABComm, a LAHAR oferece templates não só de e-mails, como também de landing pages.

As funcionalidades da LAHAR incluem uma excelente segmentação, CRM Social, dados sobre as fontes de tráfego, monitoramento das menções da sua marca nas redes sociais, ferramenta para escolha de palavras-chave e relatórios muito completos e fáceis de entender.

3- Leadlovers

Transformar seu negócio em uma máquina de vendas, essa é a promessa da Leadlovers.

Na verdade, ela fornece uma sugestão chamada de “máquina de vendas pronta”, combinando várias de suas funcionalidades.

Veja algumas delas:

→ Criador de páginas no esquema “arraste e solte” ou com templates prontos;
→ Plataforma EAD para criar cursos e converter mais leads;
→ Comunicação via SMS e Messenger com seus leads e integração com o Facebook Leads Ads.
→ E muito mais!

4- RD Station

Uma das mais conhecidas ferramentas de automação de marketing do Brasil, o RD Station é outra excelente opção para conversão e qualificação de leads.

Dentre as diversas funcionalidades do RD Station, a empresa destaca a possibilidade de otimizar o SEO do site e gerenciar publicações em redes sociais, a criação de landing pages para converter visitantes em leads, histórico completo do relacionamento com seus clientes para definir campanhas de e-mail e nutrição de leads, classificação dos contatos conforme sua posição no funil de vendas e muito mais.

Como você viu, todas são excelentes ferramentas de e-mail marketing que têm tudo para aumentar sua taxa de conversão.

Mas existem várias outras que também podem ajudar você, veja este quadro que mostra um comparativo das melhores ferramentas de e-mail marketing e o que cada uma oferece:

preços ferramentas de e-mail marketing

Fonte: Pluga

Como deixar suas ferramentas de e-mail marketing ainda melhores

Para começar, só faz sentido ter uma ferramenta de e-mail marketing se você tiver uma boa entrada de leads no topo de seu funil de vendas.

As ferramentas citadas ajudam muito nessa tarefa, mas existem outras maneiras de fazer isso, confira algumas delas.

1- Vooozer

Você consegue ler tudo que encontra de interessante na internet?

E se pudesse ouvir esses conteúdos enquanto trabalha ou está no trânsito?

Essa é a proposta do Vooozer: você acrescenta a narração de seus posts em áudio no início de cada publicação e quando o usuário aciona o player é solicitada a captura de seu e-mail.

2- Typeform

Se você acredita que o Typeform é apenas uma plataforma de pesquisas excelente, se engana.

Você pode muito bem incluir um formulário de captura de leads em seu site, para assinar uma newsletter, dar sugestões ou mesmo baixar um material rico. Também é possível integrar o Typeform com outras ferramentas (veja mais detalhes a seguir), fazendo com que esses leads capturados sejam automaticamente cadastrados em sua ferramenta de e-mail marketing.

3- Pluga

Seus vendedores acabaram de usar seu CRM e cadastraram um novo lead?

Não seria excelente se ele fosse automaticamente cadastrado em sua ferramenta de automação de e-mail marketing?

E quando uma compra é aprovada em seu e-commerce, não seria importante que esses contatos também fossem cadastrados nas ferramentas de e-mail marketing?

Para conseguir isso e muito mais, basta integrar ferramentas usando APIs (protocolos da internet que fazem softwares na nuvem conversarem entre si).

E você pode usar as automatizações prontas da Pluga, não leva nem 2 minutos para fazer a integração e você não precisa digitar nem uma linha de código sequer.

É tudo muito ágil e rápido.

Qual dessas ferramentas para automatização de e-mail marketing te pareceu mais interessante? E as maneiras adicionais de capturar leads?

Visite o site de cada uma delas, estude todos os detalhes e escolha a ferramenta ideal para fazer sua empresa crescer cada vez mais.

Este post foi escrito por Marcus Ribeiro, entusiasta de novas tecnologias, empreendedor, CEO da Pluga e jogador de futebol de praia no fim de semana [Part-Time Job].


11 maneiras de como aumentar a taxa de conversão agora

Aprender técnicas de como aumentar a taxa de conversão é absolutamente crucial. Ter uma boa taxa de conversão é a base de um alto volume de vendas.

O design é uma parte grande do trabalho de CRO (otimização para conversão). Mas depois de alinhar a parte estética, é essencial que você implemente funções adicionais de conversão para conquistar novos clientes e aumentar sua receita.

Que tal ouvir esse conteúdo ao invés de ler? Clique no play abaixo!

O objetivo deste post é ajudá-lo a encontrar e corrigir os pontos de contato que você pode ter perdido no seu site e assim aprender como aumentar a taxa de conversão.

Dicas de conversão: abra a comunicação com os clientes

1. Faça testes A/B

No setor imobiliário, o ponto crucial é a localização. Na otimização das taxas de conversão (CRO) é o teste. A experimentação é a melhor maneira de reduzir o risco na tomada de decisões, ao mesmo tempo que permite às suas equipes criativas espaço para inovação e exploração de novas oportunidades.

O que é um teste A/B?

O teste A/B (ou teste de divisão) é uma técnica para aumentar a taxa de conversão de seu site (que é a capacidade de transformar visitantes em clientes). Se você tivesse dois títulos possíveis para sua página e não conseguisse decidir qual usar, poderia executar um teste A/B para ver qual deles funcionaria melhor.

Você cria duas versões alternativas de sua página (página A e página B), cada uma com um título diferente. O software de teste A/B direciona 50% do tráfego de entrada para a página A e 50% para a página B. Ambas as páginas têm uma chamada à ação e, no final, você confere quantas pessoas executaram a ação proposta. A página com mais conversões (mais pessoas agindo) ganha.

Seu objetivo deve ser sempre ter pelo menos um teste A/B em execução em seu site.

Não existe “perfeito” quando se trata de marketing, site ou design de produto. E a única maneira de saber o que funciona e o que não funciona é testar continuamente.

2. Crie uma proposta de valor atraente e clara

O potencial da sua taxa de conversão é determinado pela proposta de valor, tornando-se o fator de conversão mais importante.

O que exatamente é uma proposta de valor?

É a principal razão pela qual um cliente em potencial deve comprar de você. Os clientes não querem apenas saber “O que há para mim?”, mas “Por que devo comprar de você?”.

Se você tivesse apenas 10 palavras para explicar por que as pessoas deveriam comprar de você ao invés da concorrência, o que você diria?

Muitos profissionais de marketing tentam aumentar a taxa de conversão, alterando os elementos da página como cores e tamanhos das fontes, formatos de botão, imagens, incentivos, etc. Quando o primeiro passo deve ser realmente o foco no fortalecimento de suas proposições de valor.

Se a sua página inicial ou a página do produto diz “Bem-vindo!” ou lista apenas o nome da sua empresa ou do produto, você está perdendo. Observe que há uma diferença entre a proposta de valor para sua empresa e seu produto. Você deve abordar ambos.

O que faz uma boa proposta de valor?

Primeiro, ela deve ser diferenciada das ofertas dos seus concorrentes. Além disso, você pode estar igual a um concorrente em todas as dimensões de valor, exceto em uma. Você precisa se destacar em pelo menos um elemento de valor (fator chave importante para o comprador).

Elaborar uma proposta de valor exige uma reflexão substancial sobre o que é único sobre sua empresa e seus produtos ou serviços.

Ter uma proposta de valor poderosa não é suficiente. Ela deve ser comunicada de forma eficaz para alcançar os melhores resultados. Você precisa refinar sua proposta de valor até conseguir articulá-la em uma única sentença instantaneamente confiável.

Por mais que você trabalhe em expressar sua proposição de valor, para saber sua verdadeira eficácia, você deve testar para ver como ela ressoa com seu prospect ideal. A otimização de proposições de valor é um processo contínuo que envolve identificar, expressar, testar e medir. Use o teste A/B para fazer isso.

3. Configure um funil de vendas

Às vezes, o que mata suas conversões é que você está pedindo a venda (inscrição, o que for) muito rápido. As pessoas podem estar “apenas navegando”, não estarem psicologicamente preparadas ou não terem pressa para comprar agora.

funil-de-vendaQuanto mais caro e/ou complicado o produto, mais tempo as pessoas precisam antes de estarem prontas para se comprometerem.

Para produtos de software, por vezes, oferecer uma demonstração ou uma avaliação gratuita em vez de solicitar uma inscrição ou compra pode trazer melhorias significativas na taxa de conversão.

Mas, em muitos casos, você precisa apenas desacelerar e construir um funil de vendas para criar confiança, desenvolver relacionamentos e provar sua experiência.

Um exemploDigamos que seu produto seja um curso online sobre consertos domésticos do tipo DIY (faça você mesmo). Veja como você pode construir o funil:

O que o visitante quer? Aprender sobre consertos domésticos do tipo DIY.

O que você quer? Que o visitante compre seu curso.

Como fazer isso?

  • Ofereça dicas gratuitas e úteis de reparo em casa através do seu blog, vídeos, e-book, podcasts, etc;
  • Torne-se um consultor confiável para o público;
  • Forneça razões convincentes para se inscrever em sua lista de e-mail (em troca de algumas boas informações);
  • Pílulas de conteúdo em vídeo gratuito via e-mail;
  • Envie os visitantes para uma landing page e estimule a compra.

Alguns especialistas dizem que são necessários pelo menos sete contatos com um possível comprador antes que ele esteja pronto para comprar de você.

Não é um número definitivo, pois cada empresa pode detectar um tempo de contato necessário com seus prospects.

Mas quanto mais longo e profundo o relacionamento com o cliente em potencial, mais provável é que ele compre de você.

Então diminua a velocidade. Ofereça valor e benefícios imediatos, antes de pedir a venda. Basta conseguir o endereço de e-mail para que você possa continuar conversando com eles e aproximá-los do ponto de compra.

4. Corte o jargão

A clareza supera a persuasão, sempre.

Recentemente me deparei com um site com a seguinte proposta de valor:

“Soluções de automação de marketing focada em receita e eficácia de vendas desencadeiam colaboração durante todo o ciclo de receita”.

O que isso significa? Agora você pode explicar o que eles fazem e como isso é útil para você? Não é verdade, certo?

Não tente atrair as pessoas com linguagem complicada de negócios – simplesmente não funciona.

Você escreve para as pessoas – são as pessoas que leem seu site. Diretores de marketing e gerentes de compras também são pessoas. Então não escreva para empresas, escreva para pessoas.

A clareza é algo com que profissionais de marketing lutam constantemente. A melhor maneira de reformular todo o discurso de marketing em seu site é imaginar que você está explicando seu produto para um amigo.

Se houver uma frase redigida de uma forma que você não usaria em uma conversa com um amigo, troque as palavras. Como Paul Graham disse, “escreva como você fala”.

5. Aborde objeções

Sempre que as pessoas lerem sua oferta, haverá atrito. Eles terão algumas objeções conscientes e subconscientes sobre o que você está dizendo e hesitarão em aceitar a oferta.

Durante as vendas presenciais, podemos descobrir essas hesitações com perguntas e abordar as preocupações, mas online é mais difícil. A solução é evitar esses objetos, abordando todos os possíveis problemas imediatamente.

Etapa 1 – crie uma lista de todas as possíveis hesitações e objeções que seus possíveis clientes possam ter.

Etapa 2 – adicione informações no seu discurso de vendas para eliminar ou aliviar essas preocupações. A lista pode conter coisas como:

  • Você não entende meu problema (explique os problemas que seu produto resolve);
  • Por que eu deveria acreditar em você? (mostre suas credenciais, experiência, prêmios, etc.);
  • E se isso não funcionar pra mim? (tenha depoimentos de todos os tipos de usuários que se beneficiaram do seu produto);
  • Não vale a pena o dinheiro, existem alternativas mais baratas por aí (explique seu preço, compare com a concorrência, prove o valor que seu produto oferece).

…e assim por diante. Busque informações externas, faça testes com os usuários e peça a seus clientes para descobrir com o que todos podem se preocupar.

Dica bônus: use pesquisas em seu site para identificar as frustrações dos visitantes. Dessa forma, você pode obter feedbacks reais e em tempo real, enquanto eles estão experimentando o seu site.

Leia mais: Dicas para blogs: conheça sites que podem ajudar iniciantes e veteranos!


6. Aumente a confiança

Digamos que você está descendo a rua da sua casa e um cara aleatório vem até você. “Ei, quer comprar um iPad? Apenas R$ 50. É novo em folha”. Você compraria?

Você sabe que o produto é bom. Você sabe que é realmente um bom negócio. Mas você, provavelmente, ainda assim não compraria. Por quê? Porque você não confia no cara.

O guru de vendas Zig Ziglar disse uma vez que existem apenas quatro razões pelas quais as pessoas não compram de você:

  • não há necessidade;
  • estão sem dinheiro;
  • não estão com pressa;
  • sem confiança.

Não podemos fazer muito pelos três primeiros motivos, mas podemos criar confiança. Adicione elementos de confiança ao seu site e veja suas taxas de otimização de conversão aumentarem.

Então, o que faz as pessoas confiarem em um site? O bom é que o Stanford Persuasive Technology Lab estudou isso ao longo dos anos e tem a resposta.

Aqui está a lista, verifique se o seu site tem todos os itens presentes:

  • Facilite a verificação da precisão das informações no seu site. Você pode criar credibilidade no site fornecendo suporte de terceiros (citações, depoimentos, artigos em publicações conhecidas, material de origem, etc) para informações que você apresenta, através de links. Mesmo que as pessoas não cliquem nesses links, você demonstrou confiança em seu material.
  • Mostre que há uma organização real por trás do seu site. A maneira mais fácil de fazer isso é listando um endereço físico. Outros recursos também podem ajudar como postar uma foto de seus escritórios, número do CNPJ ou listar uma associação com a Câmara de Comércio.
  • Destaque a experiência da sua organização no conteúdo e serviços que você fornece. Você tem especialistas em sua equipe? Seus colaboradores são autoridades? Certifique-se de mostrar suas expertises. Você é afiliado a uma organização respeitada? Deixe isso claro. Por outro lado, não vincule sites externos que não sejam confiáveis. Seu site se torna menos credível por associação.
  • Mostre que pessoas honestas e confiáveis ​​estão por trás de seu site. Encontre uma maneira de transmitir sua confiabilidade por meio de imagens ou texto. Publique fotos e biografias dos funcionários em que eles contem sobre família ou hobbies.
  • Facilite o contato com você. Uma maneira simples de aumentar a credibilidade do seu site é deixar suas informações de contato claras: número de telefone, endereço físico e endereço de e-mail.
  • Projete seu site para que ele pareça profissional (ou apropriado para o seu propósito). As pessoas avaliam rapidamente um site apenas pelo design. Ao criar seu site, preste atenção ao layout, tipografia, imagens, problemas de consistência e muito mais. Sites de aparência amadora matam a confiança. Invista em um design de qualidade.
  • Torne seu site fácil de usar e útil. Pesquisas mostram que os sites ganham pontos de credibilidade por serem fáceis de usar e úteis. Alguns operadores de sites esquecem os usuários quando eles atendem ao ego de sua própria empresa ou tentam mostrar as coisas incríveis que podem fazer com a tecnologia da web.
  • Atualize o conteúdo do seu site com frequência. As pessoas atribuem mais credibilidade a sites que mostram que foram atualizados ou revisados ​​recentemente. Se você tiver um blog ou uma seção de notícias, verifique se eles são atualizados regularmente. Nada diz tanto “fechado para negócio” quanto um blog abandonado.
  • Ninguém gosta de pop-ups e banners piscando. As pessoas associam isso a fraude e spam. Se possível, evite ter anúncios no seu site. Se você precisar de anúncios, distinga claramente o conteúdo patrocinado do seu. Quanto ao estilo de escrita, tente ser claro, direto e sincero.
  • Evite erros de todos os tipos, não importa quão pequenos pareçam. Erros de ortografia e links quebrados prejudicam a credibilidade de um site mais do que a maioria imagina. Também é importante manter seu site rápido e funcional.

7. Facilite o processo de compra

Outra maneira de como melhorar a taxa de conversão, é tornar o processo de compra o mais fácil possível. Seus usuários não devem descobrir como comprar de você ou onde clicar. Tem que ser intuitivo e evidente. Tão poucos cliques quanto possível.

Sua avó poderia descobrir como comprar no seu site em um ou dois minutos?

  • Diga aos seus usuários o que eles devem fazer a seguir. Em todas as páginas, sempre guie o usuário para a ação que você quer que ele faça. Faça o próximo passo parecer mais importante do que outros links.
  • Não dê aos usuários muitas opções. O Paradoxo da Escolha (um ótimo livro, a propósito) afirma que quanto mais escolhas você der aos seus usuários, mais fácil será eles não escolherem nada. A escolha paralisa. Se você tiver muitos produtos, crie filtros melhores para que seus clientes em potencial possam identificar o caminho certo para eles sem gastar muito tempo.
  • Peça para preencher o menor número de campos possível. Quanto mais campos você tiver em seu pedido ou formulário de inscrição, menos pessoas o preencherão. Adicione a opção de se inscrever através da conta do Facebook ou do Google. Não peça nada que você não precise saber para continuar o pedido.
  • Não force os usuários a se inscreverem para comprar. O ponto principal: NÃO forçar as pessoas a se inscreverem como usuários para comprar de você. Deixe-os checar como um convidado. Isso fará bastante diferença.
  • Ofereça frete grátis. Caso você tenha um e-commerce, o envio gratuito foi a motivação mais popular para 82% dos consumidores do Reino Unido e 80% dos consumidores dos EUA em um estudo conduzido pela eConsultancy. Quem oferece essa opção tem uma clara vantagem sobre os concorrentes.

8. Comunique valor

Um erro comum cometido pelos profissionais de marketing é que eles não fornecem informações suficientes sobre os produtos e serviços que eles vendem.

venda-taxa-de-conversaoVamos pegar a cadeira da imagem ao lado como exemplo. Vamos descrevê-la assim (todos os fatos verdadeiros):

  • Assento e parte traseira de material de suspensão respirável, para conforto a longo prazo;
  • Peso: 23kg;
  • Cor: carbono clássico;
  • Garantia completa do fabricante de 12 anos;
    Preço: R$ 869

Você pagaria R$ 869 com base no que foi listado aqui?

Não! No entanto, muitos sites fazem exatamente isso. Eles apenas listam um monte de marcadores com recursos, juntamente com o preço.

A melhor maneira de vender produtos e serviços é adicionar tanta informação quanto possível. Adicione descrição, fotos, vídeos e comentários a todos os seus produtos.

Se alguém ler todas as informações do produto e ainda não estiver convencido, você tem um problema. Mas se alguém estiver convencido depois de ler apenas 1/4, eles podem pular o resto e apenas completar a compra imediatamente.

Até 50% das vendas potenciais são perdidas devido a informações inadequadas, segundo a IDC, uma empresa de pesquisa global.

Você precisa fornecer informações suficientes para que seu prospect possa se convencer.

Ah! Lembre-se de listar o preço depois de comunicar o valor. Caso contrário, as pessoas podem fazer um julgamento instantâneo com base no preço sem ler o valor que o produto oferece.

9. Ofereça provas

Tudo o que você afirma, precisa confirmar com provas. As pessoas são céticas e querem ver as provas. 

Então, que tipo de prova você pode fornecer?

  • Depoimentos de clientes. As pessoas que usaram seus produtos confirmam suas afirmações. É uma boa ideia usar depoimentos de clientes que estavam em uma situação pior do que o cliente médio. Se até as pessoas em circunstâncias terríveis puderam obter os resultados, seu público-alvo também poderá!
  • Estudos de caso. Todos damos atenção a antes e depois em estudos de caso. Muito eficaz quando bem feito.
  • Comentários de terceiros. Uma revista de negócios ou um blog escreveu uma crítica brilhante? Mostre e coloque o link para o artigo em seu site.
  • Prova social. Se você tem milhares de clientes, torne isso um fato bem conhecido. Ninguém quer ser o único usando seu serviço. Se você tem milhares de pessoas/empresas que usam seu serviço, não pode ser ruim!
  • Mostre! Nada como uma boa demonstração para provar o que seu produto faz. Use vídeos que exibem seu produto em ação.

Analise todas as afirmações feitas em sua página de vendas e descubra como adicionar alguma prova.

10. Remova as distrações

Isso é importante se você está focado em descobrir como aumentar a taxa de conversão usando técnicas de CRO. Você quer que as pessoas se concentrem em uma única ação e não se distraiam dela.

Há itens na página que podem desviar o visitante do objetivo?

Quanto mais insumos visuais e opções de ação seus visitantes tiverem que processar, menor a probabilidade de eles tomarem uma decisão de conversão. Minimizar distrações, como opções de produtos desnecessárias, links e informações estranhas, aumentará a taxa de conversão.

Nas suas landing pages e nas páginas de produtos, remova ou minimize tudo o que não for relevante para os usuários realizarem a ação principal.

  • Remova ou encolha o menu;
  • Livre-se das barras laterais e dos cabeçalhos grandes;
  • Tire imagens irrelevantes;
  • Pense em remover a navegação nas landing pages.

Pergunte a si mesmo se há algo mais que você poderia tirar da página: há algo que não está contribuindo para a conversão?

11. Adicione incentivos para ação imediata

Existe uma indicação de que a ação precisa ser tomada agora? O tom da apresentação, ofertas e prazos podem influenciar a urgência de compra.

Pode parecer óbvio para alguns e outros podem pensar que não funciona: nada cria tanta urgência como a escassez.

Existem dois tipos de escassez que você pode criar:

  • escassez relacionada com a quantidade (Ex.: Restam 2 lugares a esse preço);
  • escassez relacionada ao tempo (Ex.: Último dia para comprar).

Se o fornecimento do seu produto é infinito, você pode dar bônus por tempo, um presente grátis para a primeira quantia X de compradores ou um desconto se eles completarem a compra dentro de um determinado período de tempo.

Conselho: o motivo da escassez tem que ser legítimo. Não minta para seus clientes, nunca. Se é falsa escassez, as pessoas vão saber e seu grau de confiabilidade cai. Não vale a pena.

Leia também: Como aumentar as visitas de um blog e site com tráfego orgânico?

Gostou das nossas dicas de como aumentar a taxa de conversão? Tente colocá-las em prática e você alcançará excelentes resultados para o seu negócio.

Você sabia que mais de 70% das pessoas não consegue ler tudo que gostaria na internet? E você mesmo já deve ter passado por isso: querer ler algo, mas faltar tempo ou disposição.

Com os serviços do Vooozer, além de publicar posts em áudio facilmente e contratar pacotes de narração, você pode usar nosso player para capturar leads e aumentar suas vendas.

O que é growth hacking

O que é Growth Hacking: casos como Uber, Airbnb e LinkedIn

Nós vivemos em um mundo acelerado. Todo mundo quer gratificação instantânea. É verdade que o atendimento ao cliente, o desenvolvimento de produtos e o marketing são jogos de longo prazo. No entanto, isso não significa que você precisa sentar e esperar que as coisas boas aconteçam. Você sabe o que é Growth Hacking? Não? Trata-se de uma forma nova de pensar sobre negócios e resultados, um mindset de como agir em determinadas ocasiões. Quer saber mais? Então acompanhe esse artigo e saiba como ele pode pode acelerar os processos e resultados de seus negócios.

Que tal escutar o artigo ao invés de ler? Você otimiza o seu tempo e ainda descansa a vista. Aperte o play acima!

E se, ao contrário do que aprendemos até aqui, você não precisasse esperar por resultados de longo prazo? E se você pudesse experimentar mais rápido, manter seus custos mais enxutos e ficar à frente da concorrência?

Soa bem, certo?

Se você quer que seu negócio prospere e não quer esperar muito tempo para que isso aconteça talvez seja a hora de considerar aplicar o Growth Hacking aos seus processos de marketing e desenvolvimento.

Mas afinal o que é Growth Hacking e como funciona? Vamos responder a essas duas perguntas e a muitas outras neste artigo.

O que é Growth Hacking?

 

O Growth Hacking é o processo de experimentar rapidamente diferentes técnicas de marketing e desenvolvimento de produtos com o objetivo de dinamizar suas atividades com base em resultados rápidos e oportunidades potencialmente lucrativas. Mais do que um processo, o Growth Hacking é uma forma de pensar, uma mentalidade.

Não há regras quando se trata de Growth Hacking, nem de um conjunto específico de ferramentas ou diretrizes. Em vez disso, você cria as regras e descobre a melhor forma de atender às suas personas e à base de clientes em potencial.

 

Os Growth Hackers se concentram em um mindset construído sobre a ótica da experimentação das mais recentes tendências de marketing e desenvolvimento de produtos para que possam “roubar” clientes de seus concorrentes e se tornar mais uma autoridade online.

Growth Hacking é um termo criado por Sean Ellis. Segundo ele a definição mais correta é: marketing orientado a experimentos. Ou seja, encontrar oportunidades ou brechas para o sucesso e criar estratégias específicas visando resultados rápidos para o crescimento da empresa.

 

Isolando as palavras, seria algo como:

  • Growth – crescimento.
  • Hack – brecha, espaço, corte.
  • Hacking – o ato de encontrar e explorar essas brechas e espaços.

 

De maneira simples, é possível entender que o Growth Hacking é uma forma de pensar relacionada à prática de encontrar “gatilhos” que, ao serem acionados, promovem um crescimento acelerado.

 

Como o Growth Hacking funciona?

Como mencionado acima, não há uma lista de verificação infalível para o Growth Hacking que você possa seguir para alcançar o sucesso. O Growth Hacking depende da sua capacidade de ampliar rapidamente seus processos de marketing e desenvolvimento de produtos para gerar resultados.

Algumas campanhas de Growth Hackers funcionam perfeitamente. Outras falham. Você precisa se sentir confortável com a perspectiva de gastar muito tempo em uma iniciativa que não valerá a pena.

Mas a verdade é que ninguém no mundo dos negócios escapa ileso pelo fracasso. Todos cometem erros. O importante é aprender com seus erros para que você não os repita e o Growth Hacking é perfeito para treinar sua mente de negócios para aceitar falhas, girar rapidamente e tentar algo novo.

O Growth Hacking funciona concentrando-se no crescimento como a métrica principal. Em outras palavras, você se concentra exclusivamente (ou quase exclusivamente) na ampliação de seus negócios o mais rapidamente possível por meio de viralidade, aquisição e retenção de clientes, tráfego da web e atividade de mídia social.

 

Por que o crescimento é importante?

 

Muitos empreendedores nem sempre têm dinheiro para investir em pesquisas pagas, ferramentas de marketing intermináveis e outras medidas que aumentam a necessidade de investimento dos negócios.

Pense em sua própria linha de fundo. Você provavelmente não tem os bolsos profundos que as grandes corporações podem alcançar quando querem alcançar e conquistar novos clientes.

Consequentemente, você tem que usar a inovação e a criatividade como suas principais ferramentas para dimensionar seus negócios. Growth Hackers tomam o lugar do dinheiro.

 

Em muitos casos, as menores alterações geram os resultados mais impressionantes. Vamos ver alguns outros benefícios significativos do apoio ao crescimento.

 

Ruptura do mercado

Quando ocorre uma interrupção do mercado, os consumidores experimentam uma mudança na maneira como pensam, resolvem problemas, compram produtos e se comportam. Uma empresa pode atrapalhar o mercado ao apresentar aos consumidores uma nova maneira de fazer as coisas. Em outras palavras, a empresa constrói uma armadilha.

Considere a Uber, por exemplo. Os consumidores usaram serviços de táxi e carro por décadas, mas a Uber introduziu uma nova maneira de as pessoas ganharem dinheiro (dirigindo seus próprios carros para transportar pessoas de um lugar para outro) e uma nova maneira de os consumidores obterem transporte fácil.

Este é um grande exemplo de perturbação do mercado. Quando milhões de pessoas reservam Uber em seus smartphones em vez de chamar táxis, ocorre uma mudança de paradigma.

 

Necessidade de velocidade e agilidade

 

Quando você leva muito tempo para levar um produto ao mercado, você corre o risco de que outros profissionais o façam e isso é ruim para os negócios e ruim para sua reputação.

Rapidez e agilidade continuam sendo cruciais para empreendedores que querem conquistar o mercado em suas indústrias ou nichos específicos. O Growth Hacking permite que você avance rapidamente em campanhas potencialmente lucrativas.

Imagine, por exemplo, que você abasteça R$ 10.000 em uma campanha de publicidade porque deseja converter o maior número possível de clientes em seu novo curso online rapidamente.

Você pode descobrir que o meio de publicidade que escolheu não ressoa com seu público-alvo. Nesse caso, você acabou de perder milhares de reais.

O Growth Hacking elimina a necessidade de se vincular a uma estratégia de marketing específica e impede que você gaste dinheiro desnecessariamente.

 

Dados

 

As empresas de hoje prosperam nos dados. Desde engajamento digital de mídia social até o tráfego da web, você deseja ficar por dentro de suas métricas todos os dias.

Por que os dados importam tanto? Porque os dados fornecem a base sobre a qual você toma decisões para o seu negócio.

Talvez você descubra que seu mercado-alvo não passa muito tempo no Facebook. Com esses dados em mãos, você pode sair do Facebook por completo ou mudar sua abordagem na mídia social.

Você não desperdiçará nenhum dinheiro ou tempo porque tomou decisões com base em fatos concretos. O Growth Hacking permite que você reúna dados com mais rapidez sem precisar gastar seu orçamento de marketing.

Alguns dados demoram para acumular. Você não deve retirar sua presença na mídia social no Facebook, por exemplo, com base em dados de duas semanas. No entanto, você pode perceber rapidamente que precisa compartilhar diferentes tipos de conteúdo ou relacionar-se com seus seguidores de uma maneira diferente.

 

Quando aplicar o Growth Hacking?

 

Em qualquer negócio online crescimento é tudo. Uma empresa que não é escalonável não pode produzir um lucro confiável ou permitir que o empreendedor busque objetivos futuros. Por meio do Growth Hacking, você pode expandir seus negócios mais rapidamente com base em dados confiáveis e produzir novos produtos em um ritmo mais rápido.

Pense no Growth Hacking como um atalho em seu caminho para o sucesso. Ele não substitui outros tipos de marketing, publicidade e desenvolvimento de produtos, mas pode tornar tudo isso mais eficaz a curto e a longo prazo.

O Growth Hacking foi construído para startups, mas esse mindset agora também é presente em empresas dos mais variados portes e setores . Ele combina marketing e codificação para ajudar novos negócios a crescer rapidamente e competir de forma mais eficaz com empresas estabelecidas.

Isso significa que você precisa ser um programador para participar do crescimento de hackers? Absolutamente não.

Existem muitas ferramentas para ajudar você a entender melhor os dados, testar novas campanhas de marketing com seu público-alvo e alcançar seus clientes ideais com mais rapidez.

O momento certo para iniciar o Growth Hacking é quando você está pronto para expandir seus negócios e fazer alterações rápidas com base nas táticas que experimenta.

 

O Growth Hacking substitui o Marketing Digital?

 

Muitos empresários acreditam erroneamente que o Growth Hacking é um substituto para o marketing digital. Nada poderia estar mais longe da verdade.

Os Growth Hackers em geral são profissionais de marketing, mas os profissionais de marketing não são necessariamente Growth Hackers. Um Growth Hacker é um profissional de marketing voltado à experimentação e resultados e que tem um objetivo em mente: Crescimento.

Os profissionais de marketing têm muitos KPIs que rastreiam, enquanto os Growth Hackers se concentram apenas nas métricas que levam ao crescimento: mais tráfego na web, mais engajamentos nas mídias sociais e, mais importante, mais vendas.

 

Leia mais: 23 técnicas de persuasão em vendas para ajudar a fechar mais negócios

As empresas também precisam de marketing digital. Eles precisam adotar uma abordagem de longo prazo para certas estratégias de marketing digital, como SEO e criação de audiência.

 

Leia mais: Descubra aqui as tendências de marketing digital 2018 que vão dominar o cenário!

 


Como aplicar o Growth Hacking

 

O processo de Growth Hacking difere dependendo do seu objetivo. É verdade que todos os Growth Hackers veem o crescimento como a métrica mais importante, mas o que o crescimento significa para você?

Você deseja aumentar sua receita da maneira mais rápida e ética possível. Alguns Growth Hackers usam estratégias black-hat, que podem resultar em benefícios de curto prazo. No entanto, uma vez que os consumidores descubram o engano, eles evaporam como neblina no sol do verão.

Comece decidindo o que você quer realizar. Por exemplo, digamos que você queira aumentar o tráfego do site em 300%. Esse é um objetivo grandioso. Também é possível. Defina um prazo para si mesmo, como três meses, para que você tenha um jogo final ativo para sua estratégia.

Durante esse experimento, pense em maneiras de aumentar seu tráfego na web. Você pode escrever mais conteúdo para o seu blog? Você pode se beneficiar postando com mais frequência nas mídias sociais e automatizando essas postagens?

A ideia aqui é chegar ao seu objetivo o mais rápido e com menos investimento possível. Você pode usar soluções pagas, mas, se não tiver o orçamento, invista o suor.

Ao trabalhar em direção ao seu objetivo, acompanhe seu processo com cuidado. Se uma estratégia não funcionar, gire e tente outra coisa. Você está procurando por viralidade aqui: algo que causa uma rápida mudança em seu crescimento.

 

Configurando um funil de Growth Hackers

O funil de vendas tradicional não é a única metodologia que você pode seguir para gerar um crescimento rápido. O funil de vendas de Growth Hackers se concentra exclusivamente no alcance de suas metas de crescimento.

Anteriormente, falamos sobre a definição de objetivos de marketing digital para o seu negócio. Você quer aumentar o tráfego? Produzir mais conversões? Conquistar mais vendas?

Com base nesse objetivo, você cria um funil personalizado.

Por exemplo, se você quiser mais assinaturas de e-mail, precisará de um funil de conversão que produza o máximo de crescimento. Produza o melhor ímã de chumbo possível. Atualize seus autoresponders de e-mail para incluir conteúdo mais valioso. Acompanhe inscrições, taxas de abertura e taxas de cliques para avaliar seu sucesso.

 

Exemplos de Growth Hacking

Exemplos de como outras empresas obtiveram sucesso com os Growth Hackers ajudam você a entender o que é Growth Hacking, para que possa replicar seu sucesso.

 

Muitas empresas adotaram o Growth Hacking, especialmente durante a fase de inicialização. Por um lado, você tem mais a perder quanto mais tempo está no negócio. No começo, você está trabalhando com um sonho e um conjunto de habilidades. O céu é o limite.

Quando você começa a adquirir clientes, suas prioridades mudam. Não é mais sobre o que você quer, mas sobre o que seus clientes querem.

Vamos esclarecer: a experiência do cliente é sempre importante. No entanto, durante a fase de inicialização, você está em uma posição melhor para mudar seus negócios em uma direção que também estimule sua paixão.

Então, como as empresas conseguiram crescer com sucesso até chegar ao topo?

 

Hotmail

 

O Hotmail é um dos primeiros serviços de webmail, lançado em 1996. Para acumular membros rapidamente, a empresa adicionou uma única linha ao final de cada mensagem enviada pelos usuários: “Este e-mail foi enviado pelo Hotmail. Obtenha sua conta gratuita no Hotmail.com. P.S. Eu te amo.”

Parece simples, certo? Mas forneceu um dos primeiros exemplos de prova social na Internet.

As pessoas que viram a mensagem sabiam que o remetente usava o Hotmail. Se o remetente era um colega, um membro da família ou um amigo, a mensagem veio em alto e bom tom: “Eu uso o Hotmail e você também deveria”.

Foi assim que o Hotmail acumulou quase 9 milhões de assinantes antes de a Microsoft comprar a empresa em 1997.

Adicionar essa única mensagem às extremidades dos e-mails dos usuários não custou um centavo para o Hotmail. Mas lançou o serviço e tornou a empresa uma história de sucesso aos olhos dos profissionais de marketing em todos os lugares.

 

LinkedIn

 

Quando o LinkedIn foi lançado pela primeira vez, muitos profissionais de negócios achavam que nunca funcionaria. Na época, as mídias sociais eram para adolescentes e jovens adultos que queriam trocar fotos e histórias na Internet.

O fundador do LinkedIn, Reid Hoffman, viu uma oportunidade, no entanto, de reduzir as barreiras entre pequenas empresas e empresas e de dar aos candidatos a emprego uma nova maneira de se conectar com potenciais empregadores.

De acordo com GrowthHackers.com, o crescimento do LinkedIn atingiu o topo, testando tudo e não deixando nada ao acaso. Ele não tentou monetizar o site até muito mais tarde; em vez disso, concentrou-se em conquistar novos usuários o mais rápido possível.

O plano funcionou. O LinkedIn tornou-se a principal rede social para profissionais, e o LinkedIn Premium proporcionou uma lucrativa estratégia de monetização.

Airbnb

 

Antes do Airbnb, você tinha apenas algumas opções quando queria sair para o fim de semana. Você poderia reservar um quarto de hotel ou alugar uma casa de férias.

O Airbnb mudou tudo isso. Criou uma cultura em que qualquer um poderia alugar a totalidade ou parte de sua casa a qualquer momento. Os surfistas podiam encontrar um lugar para dormir, enquanto famílias a caminho de um destino tropical podiam alugar uma casa de praia de 10 quartos com o máximo de conforto.

Como o Airbnb alcançou a proeminência tão rapidamente? Ele capitalizou a Convenção Nacional Democrata de 2008. Grandes conferências, convenções e outros eventos muitas vezes resultam na falta de quartos de hotel para possíveis participantes. O Airbnb ofereceu a solução perfeita: fique na casa de alguém.

Melhor ainda, o Airbnb estabeleceu um modelo de negócios que beneficia todos os envolvidos. O proprietário do imóvel é pago pelo aluguel, o Airbnb recebe uma comissão e o locatário fica em um local confortável (e em geral mais barato do que hotel).

 

Quando falamos de pequenas ações que podem transformar seu negócio, lembramos imediatamente de um case de sucesso entre o Vooozer e a Resultados Digitais, que com a inserção de áudios em seus conteúdos tornou possível capturar mais de 1.000 por mês, então convidamos você a ler o case Resultados Digitais.