o-que-e-mobile-first-indexing

O que é mobile first indexing: como funciona e afeta o SEO?

Temos ouvido muito sobre o que é mobile first indexing recentemente, como o mais recente desenvolvimento dos esforços contínuos do Google para tornar a web mais otimizada para dispositivos móveis e refletir as tendências de comportamento do usuário.

Mas também há muita confusão sobre o que o indexing significa para o proprietário médio de empresa. Você tem que mudar alguma coisa? Tudo? Se o seu site é compatível com dispositivos móveis, isso será bom o suficiente?

Neste post, veremos o básico sobre o que significa “mobile first indexing” e o que você pode precisar fazer a respeito.

Também responderei a algumas perguntas frequentes sobre indexação em dispositivos móveis e o que isso significa para esforços em SEO.

O que é mobile first indexing?

Mobile first indexing é exatamente o que parece. Significa apenas que a versão para celular do seu site se torna o ponto de partida para que o Google o inclua em seu index e a linha de base para como eles determinam as classificações.

Se você monitorar o tráfego do crawlbot em seu site, poderá ver um aumento no tráfego do  Smartphone Googlebot e as versões em cache das páginas geralmente serão a versão para celular.

É chamado de “mobile first” porque não é um índice somente para celular. Por exemplo, se um site não tiver uma versão otimizada para celular, o site para computador ainda poderá ser incluído no index.

No entanto, a falta de uma experiência otimizada para dispositivos móveis pode ter um impacto negativo nos rankings deste site. E um site com uma experiência móvel melhor pode receber um aumento de classificação até mesmo para pesquisas no computador.

Você também pode pensar na frase “mobile-first” como uma referência ao fato de que a versão para celular será considerada a versão principal de seu site.

Portanto, se suas versões para dispositivos móveis e computadores são equivalentes – por exemplo, se você otimizou seu conteúdo para dispositivos móveis e/ou usa design responsivo – essa alteração não deve (em teoria) ter impacto significativo em termos de desempenho do seu site nos resultados de pesquisas.

No entanto, isso representa uma mudança fundamental na maneira como o Google está pensando sobre o conteúdo do seu site e como priorizar o rastreamento e a indexação.

Lembre-se de que, até agora, o site para computador era considerado a versão principal (semelhante a um URL canônico) e o site para dispositivos móveis era tratado como uma versão “alternativa” para um caso de uso específico.

É por isso que o Google incentivou os webmasters com um site para dispositivos móveis separado a implementar tags de painel de controle (que indicavam a existência de uma versão de URL para dispositivos móveis com uma tag rel=alternate especial).

O Google pode nem mesmo fazer o esforço de rastrear e armazenar em cache as versões para dispositivos móveis de todas essas páginas, pois elas poderiam simplesmente exibir essa URL para celular para os usuários de dispositivos móveis.

Essa visão da versão para desktop como a principal significava na prática que o site para desktop seria priorizado por equipes de marketing/SEOs e era tratado como a versão mais abrangente de um site, com conteúdo completo, marcação de dados estruturados, a maioria dos backlinks, etc.

Enquanto a versão móvel podia ter conteúdo mais leve e/ou não incluir o mesmo nível de marcação e estrutura e quase certamente não receber a maior parte dos backlinks e atenção externa.

O que devo fazer sobre mobile first indexing?

A primeira coisa a saber é que não há necessidade de pânico.

Até agora, essa mudança está apenas nos primeiros estágios de teste. E está sendo implementada muito gradualmente apenas em sites que o Google considera “prontos” o suficiente para que essa alteração tenha um impacto mínimo.

De acordo com as orientações mais recentes do Google sobre o tópico, se o seu site ou blog for responsivo ou idêntico em suas versões para computadores e dispositivos móveis, talvez você não precise fazer nada diferente (supondo que esteja satisfeito com sua classificação atual!).

Dito isso, mesmo com um site totalmente responsivo, você deve garantir que:

  • a velocidade e o tempo de carregamento da página para dispositivos móveis sejam priorizados;
  • que as imagens e outros elementos (potencialmente) dinâmicos sejam otimizados corretamente para a experiência móvel.

Observe que, com o mobile first indexing, o conteúdo que é recolhido ou oculto nas guias, devido a limitações de espaço, não será tratado de maneira diferente do conteúdo visível. Pois esse tipo de gerenciamento já é uma prática recomendada para dispositivos móveis.

Se você tiver um site para celular separado, verifique o seguinte:

  • Conteúdo: certifique-se de que sua versão para celular tenha todo o conteúdo valioso e de alta qualidade existente em seu site para computador. Isso pode incluir texto, vídeos e imagens. Verifique se os formatos usados ​​na versão para dispositivos móveis são rastreáveis ​​e indexáveis ​​(incluindo os textos alternativos para imagens).

  • Dados estruturados: você deve incluir a mesma marcação de dados estruturados nas versões para dispositivos móveis e desktop do site. As URLs mostradas em dados estruturados de páginas para celular devem ser a versão para celular da URL. Evite adicionar dados estruturados desnecessários, se não for relevante para o conteúdo específico de uma página.
  • Metadados: garanta que os títulos e meta descrições sejam equivalentes nas duas versões de todas as páginas. Tenha em atenção que a orientação oficial diz “equivalente” em vez de “idêntico”. Você poderá ainda otimizar os seus títulos para celular para obter contagens mais curtas, mas certifique-se de que as mesmas informações e palavras-chave relevantes estão incluídas.
  • Hreflang: se você usar rel=hreflang para internacionalização, as anotações hreflang dos seus URLs para dispositivos móveis devem apontar para a versão para celular de seu país ou variantes de idioma. E as URLs para computadores devem apontar para as versões para computador.
  • Metadados sociais: tags OpenGraph, cartões do Twitter e outros metadados sociais devem ser incluídos na versão para celular e na versão para desktop.
  • XML e Sitemaps de mídia: garanta que todos os links para sitemaps sejam acessíveis a partir da versão móvel do site. Isso também se aplica a diretivas de robôs (robots.txt e tags de meta-robôs na página) e, potencialmente, até mesmo a sinais de confiança, como links para sua página de política de privacidade.
  • Verificação do Search Console: se você tiver verificado apenas o seu site para computador no Google Search Console, não se esqueça de adicionar e verificar a versão para celular.
  • Indexação de aplicativos: se você tiver a indexação de aplicativos configurada para seu site para computador, convém verificar a versão para celular do site em relação aos arquivos de associação de aplicativos, etc.
  • Capacidade do servidor: certifique-se de que seus servidores suportem o aumento da taxa de rastreamento.
    (Isso se aplica apenas a sites com sua versão para celular em um host separado.)
  • Tags do painel de controle: se você tiver tags de painel de comunicações móveis implementadas, não será necessário alterar essa implementação. Estes devem permanecer como estão.

Perguntas comuns sobre mobile first indexing

1) O mobile first indexing está ativo e afeta meu site agora? Se não, quando é que vai estar?

O Google vem experimentando essa abordagem para indexar um pequeno número de sites, que foram selecionados com base na percepção de “prontidão”.

Um lançamento mais amplo provavelmente demorará muito e, em junho de 2017, Gary Illyes afirmou que provavelmente levará alguns anos até que “alcancemos um índice que seja apenas móvel primeiro”.

O Google também afirmou o seguinte no Blog de Webmasters, em um post datado de 18 de dezembro de 2017:

“Avaliamos sites de forma independente sobre sua prontidão para indexação em dispositivos móveis com base nos critérios acima e faremos a transição deles quando estiverem prontos. Esse processo já começou para um punhado de sites e está sendo monitorado de perto pela equipe de pesquisa.

Continuamos sendo cautelosos com o lançamento da primeira indexação móvel. Acreditamos que levar isso lentamente ajudará os webmasters a prepararem seus sites para usuários móveis e, por isso, atualmente não temos uma linha do tempo para quando ela será concluída.”

2) E se eu não tiver uma versão para celular do meu site?

Se você não tiver uma versão para celular do seu site e sua versão para computador não for compatível com dispositivos móveis, seu conteúdo ainda poderá ser indexado.

No entanto, você pode não classificar bem em comparação a sites otimizados para dispositivos móveis.

Isso pode afetar negativamente seus rankings gerais na pesquisa de computadores, bem como os resultados de pesquisa para dispositivos móveis, pois a experiência do usuário será menor do que a de outros sites (pois o rastreador será um rastreador “móvel”).

3) Isso mudará como devo veicular anúncios/conteúdo/etc. no meu site para celular?

Se a sua abordagem atual aos anúncios estiver criando uma experiência de usuário lenta ou ruim, você certamente precisará resolver isso.

Se você atualmente opta por ocultar parte do conteúdo do seu site para dispositivos móveis em guias para economizar espaço, isso não será um problema.

Esse conteúdo será tratado da mesma forma como se estivesse totalmente visível (desde que o conteúdo ainda seja rastreável/acessível).

Essa visão geral ajudou você a entender o que é mobile first indexing e se sentir mais preparado para a mudança para a indexação em dispositivos móveis? Você ainda tem alguma dúvida? Deixe pra gente nos comentários.

Solicite uma consultoria gratuita de Audio Marketing e descubra como nossa metodologia pode ajudar a estratégia digital da sua empresa a engajar mais seus visitantes e gerar leads e vendas no ambiente mobile.

gerenciamento-de-campanhas-adwords

3 dicas [avançadas] de gerenciamento de campanhas AdWords

Para realizar o gerenciamento de campanhas AdWords, de maneira a obter um resultado positivo, você deve começar com uma base sólida por meio da construção de um planejamento cuidadoso e completo, seguido de otimizações rigorosas.

Constantemente trazendo novidades, o Google AdWords exige que você se mantenha atento às suas novas propostas. Inclusive, recentemente até mudou seu nome para Google Ads.

Como profissional de marketing digital, você deve acompanhar essas mudanças e reavaliar continuamente suas estratégias, se quiser realizar um gerenciamento de campanhas AdWords eficiente, com o objetivo de obter melhores resultados na plataforma.

Neste artigo analisaremos 3 dicas eficazes, e um pouco mais avançadas, de gerenciamento de campanhas AdWords para ampliar sua performance e melhorar os resultados que você, e sua empresa, irão colher.

Se você ainda está iniciando seu aprendizado sobre AdWords, sugerimos que antes, leia o artigo, “Tudo sobre AdWords: a ferramenta do Google para anúncios online”.

3 dicas de gerenciamento de campanhas AdWords para melhorar sua performance

1. Atenção na construção de sua audiência

Como já falamos anteriormente, você só deve iniciar sua campanha com um planejamento extremamente bem desenvolvido. Dentro dos pontos que se destacam nesta etapa está a construção da sua audiência.

A intenção da palavra-chave, o conteúdo do anúncio e as configurações da campanha são extremamente importantes para os links patrocinados. Mas eles precisam ser compatíveis com públicos mais especializados e bem segmentados para que sejam, realmente, eficazes.

O gerenciamento de campanhas AdWords será mais efetivo de acordo com o seu conhecimento sobre seus usuários. Quanto mais detalhes você tiver sobre eles, melhor poderá segmentar suas campanhas.

A Regra de Pareto afirma que, para muitos eventos, cerca de 80% dos efeitos provêm de 20% das causas. Quando aplicado ao marketing digital, isso significa que 80% de sua receita deve ser atribuída a 20% de seus clientes.

Embora os percentuais possam variar, ainda assim, alguns de seus clientes valem muito mais do que outros e identificá-los fará a diferença na lucratividade da sua campanha.

Entender a jornada de seu consumidor significa entender seu público e como direcioná-lo por todo funil de vendas, até que ele conclua uma compra.

Se o seu produto tiver uma longa jornada (como no caso de viagens, casas e carros) você poderá segmentar diferentes etapas com conteúdos específicos adaptados aos usuários presentes em cada estágio. Ou seja, você terá um discurso, um anúncio, para cada estágio da jornada, a fim de se comunicar com o público daquela etapa em específico. Sempre objetivando a passagem desse usuário para o próximo estágio do funil.

Considerando que os usuários estão em fases diferentes do funil de compra e que a intenção do comprador é diferente em cada etapa, a segmentação de públicos personalizados permitirá que você altere sua abordagem para grupos específicos de pessoas.

Em seguida, você pode fornecer mensagens que melhor atendam às necessidades de cada perfil de cliente e que sejam mais atraentes para eles, sejam promoções agressivas para desistentes de carrinho de compra ou propostas de vendas exclusivas para usuários que visitaram sua página inicial.

Use e abuse das listas de remarketing

O remarketing é a capacidade de exibir anúncios específicos para usuários que já visitaram e/ou realizaram outras ações em seu site. Essas ações podem ser várias, como, por exemplo, clicar em um link que leva para uma landing page “fale com o consultor”, acessar a página de um produto, entre outras.

O remarketing é extremamente eficaz em termos de conversões e custo, pois, você pode usar essas visitas e ações anteriores no seu site para identificar pessoas altamente interessadas em seus produtos ou serviços.

Ao aprender como fazer remarketing com o Google AdWords, utilizando o Google Analytics, você pode criar listas de remarketing com base em vários parâmetros.

Se você ainda não sabe como colocar em prática o remarketing, sugerimos que leia o artigo, “Como fazer remarketing no AdWords em 10 minutos”.

Os públicos-alvo podem ser usados ​​para display, pesquisa, Google Shopping e YouTube, portanto, certifique-se de usá-los sempre que possível para alimentar suas campanhas.

Quando você identifica e credita corretamente a primeira interação e, subsequentemente, adiciona o cliente ao seu público de remarketing, você ganha automaticamente uma vantagem competitiva. Afinal, agora você irá interagir e acompanhar esse cliente durante toda a sua jornada e todas as interações online serão influenciadas pelo fato de já terem visitado seu site antes.

Com as listas de público-alvo, modificadores de mensagem e lance de anúncios apropriados, você tem todas as ferramentas para obter altas taxas de conversão.

Públicos-alvo de terceiros

O Google usou seus dados e ferramentas para ampliar as possibilidades de análise de públicos.

Em vez de confiar apenas em seus próprios dados e descobertas, agora você pode aplicar os públicos-alvo predefinidos do Google para segmentar melhor seus clientes em potencial.

Use o relatório do Google Audience Insight para descobrir oportunidades e obter combinações perfeitas entre suas próprias informações sobre o público de remarketing e os públicos-alvo definidos do Google.

O uso eficiente de ambos garantirá um aumento no ROI, convertendo clientes potenciais qualificados em todas as etapas.

Leia também: Como calcular ROI do Google AdWords: ROI REAL X ROI Padrão.

Gerenciamento de campanhas Adwords 1

2. Aproveite as várias extensões de anúncio

Embora o Google AdWords tenha decidido parar de usar as extensões de comentários, há várias extensões altamente úteis que podem ajudar a melhorar a taxa de cliques de seus anúncios.

Uma das novas extensões de anúncio interessantes é a extensão promocional. Basicamente, ela mostra vendas especiais e ofertas com anúncios. Você também pode atribuir uma “Ocasião” específica à oferta, selecionando um feriado ou eventos especiais, como Natal ou Black Friday.

Gerenciamento de campanhas Adwords 2

Outra extensão de anúncio realmente útil são as extensões de preço.

Gerenciamento de campanhas Adwords 3

Esse é um novo recurso para empresas que têm várias ofertas de serviços ou produtos que gostariam de apresentar com preços específicos. A extensão permite separar cada serviço, o preço individual, uma breve descrição e até enviar cada anúncio para uma página de destino diferente.

Para um melhor gerenciamento de campanhas AdWords, teste as extensões de anúncio disponíveis e veja qual funciona melhor para você.

3. Experimente a automação das campanhas

Os profissionais de marketing que usam softwares de automação geram 2X o número de leads do que aqueles que não usam esse tipo de ferramenta. 64% dos profissionais de marketing dizem que viram os benefícios de usar a automação de marketing nos primeiros seis meses de sua implementação.

O gasto com tecnologia de marketing agora é maior do que o gasto com publicidade para empresas. (Gartner, 2016)

E a lista continua. Existem estatísticas infinitas apontando para a importância da automação do marketing e da inteligência artificial.

No início do trabalho com o AdWords, e até bem recentemente, era quase inconcebível usar estratégias de lances automáticos se você quisesse uma campanha eficiente. Entretanto, os avanços exponenciais que o Google fez ao longo dos anos em seus algoritmos e ferramentas de automação são tão substanciais que podem superar em muito os ajustes manuais e a precisão que você (um gerente humano) pode ter.

Imagine o seguinte cenário de um erro humano infeliz ainda típico. Você pode constantemente otimizar seus anúncios, criar novas variações e dividir os testes para melhorar suas métricas de conversão. Assim, você faz ajustes com base nas taxas de conversão, o que, ironicamente, pode acabar afetando negativamente o lucro da sua campanha.

Veja as seguintes métricas de anúncios, ambas com o mesmo volume de impressões:

1,5% de CTR e 5% de taxa de conversão

ou

3% de CTR e 3% de taxa de conversão

A maioria dos anunciantes escolhe imediatamente a opção 1, sem perceber que isso acaba reduzindo o volume total de conversões. Mesmo com uma taxa de conversão mais baixa, o segundo anúncio gera mais conversões devido à uma CTR mais alta.

O Google fez grandes investimentos em estratégias inteligentes em 2017. Entre algumas das novas funcionalidades, temos públicos personalizados, segmentação de eventos ao vivo, anúncios automatizados e configurações de rotação, atribuição inteligente de dados, algoritmos novos e aprimorados para estratégias de lances e muito mais .

Os computadores podem processar dados melhores e mais rapidamente que os humanos, por isso é importante permitir que eles façam parte do trabalho. Isso resultará em melhor análise de tendências, melhores previsões e, em grande escala, melhores resultados.

Ao aplicar corretamente a automação, você pode liberar seu tempo de tarefas repetitivas e se concentrar em atividades de alto valor, o que gera um ROI maior da campanha.

Não estamos falando para você configurar suas campanhas no automático e nunca mais olhar para seus resultados. Os ajustes são fundamentais em toda campanha de link patrocinado.

Entretanto, nossa sugestão é que você faça testes, variando entre campanhas automatizadas e manuais e vá entendendo como o Google AdWords está aprendendo com  comportamento de seus usuários e os resultados gerais das campanhas. Dessa forma, você fará um gerenciamento de campanhas AdWords muito mais completo.

Este post foi escrito pela Links Experts. Se você quiser saber o que a publicidade no Google AdWords pode fazer pela sua empresa, entre em contato conosco.


Ferramentas para blog

18 ferramentas para blog: engajamento, performance e SEO

Por que você resolveu criar um blog? Quais eram seus objetivos ao entrar de cabeça nas estratégias de marketing de conteúdo? Não importa quais são as suas respostas para essas perguntas, o fato é que você irá precisar de algumas ferramentas para blogs para alcançar suas metas.

Sem tempo para ler? Aperte o play e ouça a narração deste artigo!

Quando você lança um blog, seja ele corporativo ou não, a primeira coisa com a qual deve se preocupar é com a qualidade do conteúdo que vai compartilhar. Mostrar domínio sobre o assunto abordado e resolver um problema para o leitor que chegou até você, devem ser seus principais objetivos.

Entretanto, outras questões como se fazer encontrar, ampliar a performance do seu blog, incentivar o engajamento digital de seus leitores e aumentar a taxa de conversão de leads, também devem ser preocupações constantes.

Leia também: Como ter um blog de sucesso: aprenda com os maiores blogueiros da atualidade

Pensando em te ajudar a ampliar seus resultados com o marketing de conteúdo, separamos 18 ferramentas para blog que irão facilitar o seu trabalho de posicionamento digital. Continue lendo este artigo e tome nota das nossas dicas.

Ferramentas para blog: os melhores plugins para WordPress

Antes de começar a pensar em outras ferramentas para blog, é importante saber escolher a plataforma que sustentará a sua página na web.

Neste caso não há segundas opções. Esqueça o Blogger, o Weebly e todas as outras plataformas amadoras gratuitas se você quiser que as pessoas levem o seu blog a sério.

O WordPress se tornou o padrão da indústria. A plataforma é personalizável para oferecer suporte a diversas funções.

Uma das grandes vantagens da utilização do WordPress é a gama de plugins já desenvolvidos especialmente para a plataforma. Essas serão as primeiras ferramentas para blog com as quais você terá contato.

Você só precisa de alguns plugins básicos para adicionar funcionalidades aprimoradas para compartilhamento de conteúdo em mídia social, captura de leads e análise de desempenho do site.

Separamos a seguir 6 plugins para você agregar ao seu blog e ampliar seus resultados de atração, conversão e engajamento.

1 – Digg Digg | Compartilhamento social

Dezenas de plugins de compartilhamento social estão disponíveis para o WordPress. Gostamos do plugin gratuito Digg Digg porque ele flutua na lateral da tela e segue o leitor para cima ou para baixo na página enquanto lê, por isso é sempre visível.

2 – Thrive Leads | Captura de Leads

O Thrive Leads é um plugin de geração de leads para o WordPress e mais do que isso, é uma solução de criação de listas de contato criada com foco total na otimização de conversão.

A plataforma adota táticas de conversão avançadas e fáceis para você usar em seu próprio site ou blog.

O Thrive Leads fornece a você um arsenal de formulários de opt-in focados na conversão para ajudar a aumentar sua lista de e-mails.

Ele oferece desde pop-ups no meio da tela, pop-up de página inteira, banner lateral inferior, barra superior e muitas outras funções.

Além de ser personalizável, o Thrive Leads também possui uma boa estrutura de segmentação de banners, assim você pode fazer campanhas diferentes de acordo com as URLs, tags, etc.

O custo dessa ferramenta? Você só paga por ela uma vez e pode usá-lo para sempre, sem precisar pagar novamente a taxa.

Leia também: Como gerar leads qualificados e aumentar vendas em 7 passos

3 – Google Analytics | Análise de resultados

Certifique-se de obter alguma forma de acompanhamento ou análise do seu blog desde o início.

O Google Analytics é gratuito e fácil de instalar. Mais tarde, conforme seu tráfego aumentar, convém investir em um programa de análise paga, mas, para o curto e médio prazo, aprender como funciona o Google Analytics fornecerá dados suficientes para auxiliar em suas tomadas de decisão.

4 – WPSuperCache | Desempenho do site

Recomendamos a instalação do WPSuperCache para maximizar a velocidade com que as páginas do seu blog são carregadas para um visitante.

Velocidade de carregamento é fundamental para alcançar resultados positivos, afinal ninguém gosta de esperar páginas carregarem para ler um conteúdo.

Para que um site tenha uma boa performance na web é necessário que o carregamento seja entre 0,5 e 2 segundos. Isto porque, se ele demorar muito para abrir, o usuário desiste de esperar e o abandona, indo atrás de outro site que seja mais rápido e que tire suas dúvidas.

5 – Yoast | SEO

O plug-in WordPress SEO do Yoast é a solução completa de otimização de sites para o WordPress. É repleto de recursos e elimina a necessidade de instalar vários outros plugins, como por exemplo, você pode cadastrar o Meta Título e Descrição direto pelo plugin. Também, ao inserir a palavra-chave focada no conteúdo, ele dá uma série de dicas para melhorar a otimização de SEO. Também é muito fácil instalar e configurar o plugin Yoast SEO no WordPress.

Recomendamos o plugin Yoast SEO para otimizar o conteúdo do seu site.


Ferramentas para blog que vão ampliar a performance de sua plataforma

7 e 8 – MailChimp e Customer | Relacionamento com a base de leads

Após você atrair um usuário para seu blog por meio de ações de atração diversas, o ideal é que você tenha instaladas ferramentas para blog que retenham esses contatos para que você mantenha os laços próximos.

Recomendamos que você comece com a versão gratuita do MailChimp. Ele tem um painel limpo, fácil de usar e você pode criar várias listas segmentadas.

Se você deseja aplicar táticas mais avançadas de e-mail marketing, nossa sugestão é o Customer.io. A ferramenta para blog envia e-mails acionados pelo comportamento do usuário e pode ajudar você a refinar o marketing, o envolvimento do cliente e aumentar as conversões.

9 e 10 – Feedly e Hootsuite | Ferramentas de acompanhamento de conteúdo

O Feedly é um substituto gratuito para o Google Reader que você pode usar para rastrear postagens dos blogs que você segue em seu nicho. Configure-o com pastas por tópico, por tamanho ou por influência, o que for melhor para você.

A versão gratuita do Hootsuite é mais do que suficiente para monitorar diferentes redes de mídias sociais em um só lugar enquanto você acompanha o que os principais blogueiros em seu nicho estão falando.

11 e 12 – OptimizePress e LeadPages | Criar landing pages para maior conversão de usuários em leads

Se você tem o objetivo de oferecer produtos ou solicitar registro para aulas, webconferências, seminários online, ou para oferecer um e-book ou audiobook mais completo, sugerimos que construa uma landing page separada de seu blog para tornar a experiência mais agradável e intuitiva para seus usuários.

Recomendamos o OptimizePress para criar landing pages simples.

Se você está em um estágio mais avançado com seu blog, sugerimos o LeadPages, que oferece dezenas de designs de páginas para vendas, registro de eventos e outros tipos de landing pages. É fácil de configurar e personalizar.

13 – TINY.PNG | Para melhorar performance

Dentro da ideia de tornar seu site mais rápido e consequentemente aumentar sua performance, indicamos o aplicativo TinyPNG.

Você pode instalar o plugin, porque assim ele já faz o trabalho sozinho quando você sobe uma imagem, compactando-a automaticamente e, o melhor, é de graça!

Caso você não tenha acesso ao gerenciamento do WordPress, também pode usá-lo direto no navegador para otimizar as imagens antes de subir no blog. É só acessar o link, fazer o upload da imagem e aguardar a compressão. Depois faça o download e use em seus conteúdos no blog.

TinyPNG otimiza suas imagens PNG de 50 a 80%, preservando a qualidade do material.

Ferramentas para auditoria de SEO em seu blog

Manter-se atualizado com as práticas recomendadas de SEO é um trabalho em tempo integral e é difícil saber se você cometeu erros ao tentar otimizar seu site. Por isso separamos algumas ferramentas de SEO para seu blog.

14 – Found SEO Audit Tool

A  Found SEO Audit Tool  fará uma rápida auditoria do SEO em seu site, incluindo problemas técnicos e de conteúdo e a qualidade dos links externos do seu site.

15 – Quicksprout Website Analyzer

O Quicksprout Website Analyzer oferece uma análise de website simples e fácil de ler, incluindo pontuações para tráfego, velocidade e SEO. Além disso, a ferramenta lista o número de erros, backlinks e outros fatores-chave que necessitam de atenção. Você também pode comparar seu site com até três outros.

16 – Varvy

A ferramenta de SEO do Varvy também fornece uma rápida visão geral de SEO, incluindo links, curtidas sociais, compartilhamentos e recentes menções, palavras-chave e muito mais.

Ferramentas para blog que aumentam o engajamento na plataforma

17 – Engajamento e a captação de leads com estratégia de Quiz

Com o aumento da necessidade de desenvolver campanhas interativas, criar uma ação no formato de Quiz pode ser um grande sucesso em sua estratégia. Com ela você aumenta a taxa de captação de leads, tornando obrigatório o preenchimento de um formulário para participar do quiz e ainda amplia sua taxa de engajamento de acordo com o envolvimento dos usuários.

Uma ferramenta para blog que atende a essa proposta é a Try Interact. Uma ferramenta de criação de quizzes, com foco em geração de resultados.

Se você tem uma consultoria de finanças pessoais, pode, por exemplo, criar um quiz em que de acordo com as respostas dos usuários eles serão encaixados em um perfil de consumidor: o organizado, o impulsivo ou o exagerado. Esse resultado aparece ao final da seção de respostas e pode conter um CTA levando para uma landing page com o foco em, “mude seu comportamento, seja um consumidor mais consciente, fale com um de nossos consultores”. Além de interessante, oferece um serviço gratuito ao seu cliente.

18 – Vooozer | Mais engajamento com posts em áudio

A utilização de áudio posts para o aumento do engajamento já é case de sucesso em sites como o blog da Resultados Digitais e o da Rock Content.

A inserção de posts em áudio ajuda quem deseja ter acesso a um conteúdo, mas não tem tempo ou disposição para ler, permitindo que ouça o conteúdo durante uma viagem, enquanto dirige, malha ou mesmo trabalha.

Além disso, o player do Vooozer amplia sua captação de leads, pois possui uma funcionalidade onde para ter acesso ao áudio o usuário deve dar em troca seu e-mail de contato.

Segundo os dados da Resultados Digitais, eles aumentaram em 7% a captação de leads do blog via player do Vooozer, além disso, o fator multiplicador dos áudios é de 72, ou seja, para cada 1 minuto de conteúdo distribuído, gera-se 72 minutos de engajamento.

Gostou das nossas dicas? Então entre em contato com a equipe do Vooozer e solicite uma consultoria gratuita de Audio Marketing para descobrir como podemos ajudar a ampliar o engajamento e a captação de leads do seu blog.

conversao digital

6 etapas para aumentar a conversão digital do seu site ou blog

Cada empresa precisa de uma forte estratégia de marketing para aumentar a taxa de conversão digital em seu site.

A internet mudou drasticamente o modo como a maioria das empresas constrói e promove suas marcas, à medida que mais e mais consumidores se envolvem com marcas online antes de fazer uma compra.

Não deixe de consumir este artigo por falta de tempo ou disposição. Aperte o play acima e ouça o conteúdo na íntegra!

De acordo com a Business Insider, 40% dos consumidores estão se dirigindo aos mecanismos de busca para obter mais informações enquanto tomam suas decisões de compra. Isso não deve ser uma surpresa, já que o Google recebe mais de 100 bilhões de buscas por mês.

O que isso significa para o seu negócio? Se você ainda não tem uma estratégia integrada de marketing digital que inclua:

  • um site eficaz
  • uma estratégia para atingir novas pessoas (SEM, parcerias, mídia paga, etc)e
  • técnicas de conversão digital (materiais de conversão, nutrição de leads e vendas)

Talvez esteja perdendo oportunidades valiosas para alcançar e envolver seus leads online.

A seguir, criamos um guia completo com técnicas de conversão digital que seu site ou blog devem abraçar.  Ao seguir as etapas sugeridas você estará no caminho certo para desenvolver uma estratégia de marketing digital integrada para atrair, engajar e converter mais leads ao longo do tempo.

6 etapas do marketing para aumentar sua conversão digital

Etapa 1: Realize uma análise de seu site

O primeiro passo para criar uma estratégia de marketing digital eficaz é auditar seu site atual.

Ao realizar uma análise do seu site atual sob a ótica do design e do conteúdo, você pode entender melhor o que está fazendo bem e onde pode haver oportunidades de melhoria.

Quando se trata de design do site, você deve considerar, acima de tudo, a experiência do usuário. Abaixo, alguns pontos do design que você deve estar atento ao analisar seu site:

  • Seu site é fácil de ler e navegar. Revise sua barra de navegação e mapa do site para garantir que os visitantes possam encontrar e acessar facilmente as páginas que estão procurando.
  • Verifique se os tamanhos e as cores das fontes são fáceis de ler e se todas as imagens podem ser visualizadas, especialmente em telas de dispositivos menores.
  • Confira o tempo de carregamento de diferentes páginas. Tempo de carregamento lento não só afeta a experiência do usuário, mas também pode prejudicá-lo quando se trata de SEO. Para reduzir o tempo de carregamento, certifique-se de que as imagens ou vídeos que você usa em seu site sejam compactados.
  • Garanta que seu site seja responsivo para dispositivos móveis.

O último tópico de análise merece uma atenção especial. Os sites compatíveis com dispositivos móveis são indispensáveis para empresas que desejam permanecer competitivas no mercado digital.

O Business Insider informou recentemente que o celular continua a gerar o maior crescimento de vendas para as empresas.

O design responsivo para dispositivos móveis ajuda a melhorar a experiência do usuário de dispositivos móveis em seu site e também pode melhorar o seu SEO.

Além de analisar o design do seu site, também é imperativo que você analise o seu conteúdo, por isso fique atento aos tópicos abaixo:

  • Quais páginas você tem atualmente no site? Todas são necessárias?
  • Você fornece ao usuário informações suficientes para avançar no processo de compra?
  • Revise seu conteúdo escrito para garantir que ele forneça informações suficientes para que os visitantes entendam seus negócios, produtos ou soluções e principalmente o valor que você pode fornecer.
  • Certifique-se de que o conteúdo esteja escrito com a persona ideal em mente.
  • Atenção especial aos títulos que devem atrair a atenção.
  • Foco em um conteúdo que se concentre nos maiores desafios dos compradores-alvo.
  • Use um tom que converse com seu público e adapte seus tópicos às suas preferências.

Etapa 2: Otimize seu site para SEO

O segundo passo no desenvolvimento de uma estratégia de marketing focada em conversão digital é otimizar seu site para SEO.

Depois de analisar seu site atual e identificar áreas de oportunidade, é hora de garantir que seu site seja otimizado para os mecanismos de pesquisa.

Search Engine Optimization, SEO, é o processo de fazer alterações na estrutura do site e conteúdo para torná-los mais atraentes para os motores de busca, como o Google.

Ao aplicar técnicas de SEO em seu site ou blog você está ajudando a garantir que seu site apareça na página de resultados do mecanismo de pesquisa para palavras-chave e frases relevantes.

As práticas recomendadas para otimização de mecanismos de pesquisa geralmente estão mudando ou sendo adicionadas à medida que o Google atualiza seu algoritmo de pesquisa. No entanto, existem alguns princípios que você deve ter em mente para garantir que seu site seja otimizado:

Pesquisa de palavras-chave

Uma das partes mais importantes de seus esforços de SEO é a sua estratégia de pesquisa de palavras-chave. A ferramenta de palavras-chave do Google é um ótimo lugar para começar.

Ela ajuda você a encontrar termos de pesquisa relevantes para sua empresa e a entender melhor quantas pessoas pesquisam esses termos.

Conteúdo

Depois de desenvolver uma lista de possíveis palavras-chave, você precisará planejar e escrever conteúdo sobre essas palavras-chave e frases.

O objetivo aqui não é encher o seu conteúdo de palavras-chave, mas sim escrever um conteúdo informativo e atraente que irá agregar valor para o seu público, uma vez que o encontrar no Google e em outros motores de busca.

Você pode, e deve, utilizar técnicas de copywriting para desenvolver um conteúdo estratégico, focado em atração e conversão digital.

Se você ainda não conhece, o copywriting é um conjunto de técnicas que tem como objetivo convencer e converter o usuário por meio do conteúdo produzido.

Otimização na página

Além de usar as palavras-chave no corpo do conteúdo, você também deve prestar atenção a outros elementos nas páginas de seu site, como: títulos, meta descrições, imagens e tags de imagem.

Use as palavras-chave estrategicamente ao inserir esses diferentes elementos na página para impulsionar o SEO.

Link Building

Você sabe o que é Link Building? Trata-se de um outro aspecto importante (e muito complexo) da otimização de mecanismos de busca.

Os mecanismos de pesquisa analisam quantos conteúdos estão vinculados ao seu site para entender se o conteúdo do site é valioso.

Leia também: 9 ferramentas de SEO para blog que você deve testar

No geral, melhorando o seu SEO, você pode se posicionar melhor nos mecanismos de busca em pesquisas de termos pertinentes para o seu negócio. Isso permite que você direcione mais tráfego relevante para o seu site, alcançando resultados orgânicos e mensuráveis.

Etapa 3: Inicie o marketing de conteúdo

A terceira etapa para aumentar as conversões digitais de seu site é investir em estratégias de marketing de conteúdo.

O marketing de conteúdo é o processo de criar e publicar conteúdos valiosos e relevantes que ajudam a atrair e engajar seu público-alvo.

Leia mais: 6 dicas de como criar conteúdo para blogs e validá-los

Ao fornecer conteúdo atraente aos compradores-alvo, você pode trabalhar para criar e promover relacionamentos mais fortes com seus leads.

Antes de começar a criar conteúdo, você deve desenvolver uma estratégia. Este é o processo de determinar os diferentes aspectos do seu plano de conteúdo, como:

  • Quais tipos de conteúdo você criará
  • Em quais tópicos seu conteúdo se concentrará
  • Quem na sua equipe criará conteúdo
  • Com que frequência você publicará novos conteúdos
  • Quais canais você usará para promover seu conteúdo
  • Quais materiais serão usados para converter visitantes em leads

Depois de criar uma estratégia, você pode trabalhar para desenvolver um calendário de conteúdo. Isso ajudará a garantir que você publique regularmente e crie uma base consistente de informação e troca com seu público.

Você também deve criar uma variedade de tipos diferentes de conteúdo, como postagens em blogs, e-books, infográficos, vídeos, posts em áudio e outros recursos que podem ajudar você a criar uma conexão mais forte com seu público-alvo.


Etapa 4: Esteja presente nas mídias sociais

O próximo passo na construção de sua estratégia de conversão digital é trabalhar para construir uma presença na mídia social.

Com a utilização das redes sociais para negócios sua empresa pode expandir seu alcance online e trabalhar para gerar mais tráfego qualificado para seu site.

O primeiro passo na construção de uma estratégia de mídia social é determinar quais canais você usará para atrair e envolver seu público. É importante lembrar que você não precisa estar presente em todas as plataformas de mídia social. Em vez disso, opte por gastar seu tempo e recursos nos canais que seu público-alvo mais frequenta.

Você pode trabalhar para expandir sua mídia social, publicando conteúdo atraente. Além de publicar atualizações e promoções da sua empresa, você pode compartilhar seu conteúdo, como links para blogs.

Quanto mais conteúdo de qualidade você publicar, maior será a probabilidade de seu público-alvo acompanhar suas postagens e se envolver com sua marca nas redes sociais.

Passo 5: Amplifique as conversões com o e-mail marketing

Depois de começar a trabalhar para criar mais recursos de conteúdo e desenvolver suas mídias sociais, você pode continuar ampliando a estratégia de marketing do seu site com o e-mail marketing.

O e-mail marketing permite que você divulgue seus novos produtos e promoções, além de direcionar o tráfego de volta ao seu site.

Antes de começar a enviar e-mail marketing, você precisa trabalhar na criação de sua lista de e-mails. Existem algumas maneiras diferentes de fazer isso:

  • Comece com os endereços de e-mail de seus clientes atuais.
  • Em seguida, trabalhe para construir sua lista capturando novas informações de contato por meio dos formulários de lead.

Uma maneira pela qual você pode trabalhar para coletar endereços de e-mail de novos leads é criando um incentivo valioso.

Um incentivo que você pode oferecer é uma oferta de conteúdo atraente, como um e-book, um post em áudio ou um guia especial que ajudará seus leads a entender melhor seus desafios.

Você pode criar uma landing page com um formulário de lead que coleta endereços de e-mail de visitantes em troca de um download gratuito da oferta de conteúdo.

Você também pode aumentar a taxa de conversão digital de usuários em leads adicionando um formulário de inscrição para recebimento de newsletter. Se você usa uma barra de cabeçalho, pop-up ou barra lateral, é possível solicitar que os visitantes do site se inscrevam em sua lista de e-mail para que se mantenham atualizados com as últimas novidades e o conteúdo da sua empresa.

Você também pode colocar CTAs em alguns de seus blog posts ou outros conteúdos, incentivando seus leitores a se inscreverem em sua lista de e-mail para obter mais conteúdo e informação relevantes.

Etapa 6: Use publicidade paga para acelerar seu ciclo de vendas

Embora o objetivo seja trazer o máximo de volume de busca orgânica possível, o SEO é uma estratégia que traz resultados a médio e longo prazo. Se você quiser acelerar um pouco seu ciclo de vendas, poderá introduzir publicidade paga em sua estratégia de marketing digital.

A publicidade paga pode ajudar você a atrair mais compradores-alvo para o seu site, onde o marketing de conteúdo e outros elementos da sua estratégia podem funcionar para aumentar os resultados da conversão digital.

Há duas opções principais de publicidade paga que você pode introduzir na sua estratégia de marketing digital: publicidade no Google Adwords e publicidade em mídia social.

Agora que você já tem em mãos as principais técnicas para aumentar a conversão digital de seu site ou blog, é hora de colocar em prática as dicas e depois calcular as taxas de conversão para entender o retorno que cada ação está trazendo para seu negócio.

O Vooozer  é especializado em ajudar você a aumentar seus resultados de conversão digital, pois oferece uma plataforma de produção e distribuição de posts áudio que aumentam o engajamento e a captação de leads.

Por meio dessa estratégia ajudamos a Resultados Digitais a aumentar sua captura de leads em mais de 7%. Então, solicite uma consultoria gratuita de Audio Marketing e descubra como podemos ajudar você a alcançar esses resultados.

o-que-e-cro

O que é CRO? Um guia breve sobre otimização de conversão

SEO, CTA, CRMs…

Se você escreve, cria ou publica tipos de conteúdos online, será bombardeado por esses acrônimos.

Hoje, estamos nos concentrando em um deles: o CRO.

Experimente aprender sobre CRO de maneira prática: aperta o play acima e ouça o artigo!

Mas o que é CRO?

Significa Otimização da Taxa de Conversão e este acrônimo super popular está flutuando na web há algum tempo.

De acordo com Ginny Mineo, da HubSpot, o CRO é o processo pelo qual você cria uma experiência para os visitantes de seu site. A experiência é tão convincente que você as transforma do status “visitante” para o de “cliente”.

As conversões têm maneiras diferentes de serem medidas; e realmente, tudo depende do que você está tentando alcançar com seu site.

Antes de podermos mergulhar no âmago da questão e torná-lo um CRO Pro, você precisa entender primeiro o que é CRO e o básico para isso. Vamos lá!

O que é CRO: o significado de converter (o C no CRO)

A conversão, na sua forma mais simples, significa que você convenceu alguém a agir; uma ação que você queria que fosse tomada.

A ação pode ser se inscrever em um boletim informativo, clicar em seu site, ligar para agendar um horário. Entendeu a essência, não é?

As conversões são exclusivas para cada site. O sucesso da sua conversão não é o mesmo que de outro. Trata-se basicamente do que você está tentando alcançar com o seu site e se você consegue.

Então, se as pessoas fizerem o que você quer, você vai medir o número de pessoas que fizeram isso (versus aquelas que ignoram suas solicitações) e ver onde você precisa otimizar.

Dica: CRO não é SEO

Agora que você tem uma ligeira compreensão sobre a definição de o que é CRO, em seguida, você precisa separá-lo do SEO.

É fácil confundir os dois termos.

  • SEO = Search Engine Optimization: se concentra na otimização para os mecanismos de busca.
  • CRO = Conversion Rate Optimization: por outro lado, é onde você otimiza as conversões.

Na grande batalha do CPC vs. SEO, lembre-se do que é aprendido no CPC sobre quais consultas são mais procuradas e nas de maior conversão podem ser aplicados os esforços de SEO.

Assim como o CPC, as informações coletadas do teste de CRO podem ser aplicadas à otimização de SEO. Isso garante que a página que o usuário acessa esteja focada em fornecer a informação correta para a conversão.

Ou seja, usar o estudo de palavras chaves que é feito para uma campanha de CPC ajuda a construir um conteúdo mais estratégico para uma página. E fazer testes com campanhas de CPC com o objetivo de levar tráfego pro site, mostram quais termos tem maior encaixe com aquilo que você está oferecendo na página.

Para páginas super estratégicas como Home e landing pages, por exemplo, é interessante seguir essas duas táticas. CRO e SEO são diferentes, mas podem se complementar dentro de uma estratégia.

O Moz mergulha ainda mais fundo nessa questão e discute a guerra civil entre CRO e SEO – basicamente, dizendo que você precisa de ambos, mas que eles não são os mesmos.

Leia também: Ferramentas de SEO para blog: 9 opções simples e gratuitas.

Como medir o seu CRO

Entendido o que é CRO, vamos começar a vê-lo na prática.

CRO não é medido usando apenas uma ferramenta ou uma peça de pesquisa.

Em vez disso, você extrai dados de várias fontes para compilar em uma tática de otimização para obter melhores resultados de conversões.

  • Primeiro, você precisa identificar os causadores de problemas e se livrar deles imediatamente.
  • Segundo, você vai elaborar um plano para que esses incômodos anti-CROs permaneçam fora do seu site para sempre.
  • Terceiro, você precisará compilar os números novamente, verificar novamente o seu estado de CRO e ajustar quando necessário.

Então, por onde você começa?

Os números que você pode melhorar com CRO

1. Total de conversões

Você não pode melhorar se não souber exatamente o seu total de conversões.

O total de conversões é o número de pessoas que fizeram o que você queria que elas fizessem (por exemplo, inscrever-se para receber uma newsletter).

2. Cálculo da Taxa de Conversão

É aqui que você precisa sacar sua calculadora. Você terá o número total de conversões e o dividirá pela contagem total de visitantes. Note que o total de visitantes sempre será maior.

É praticamente impossível para você ter uma conversão de 100%. Além disso, de acordo com Dave Chaffey da SmartInsights, sua taxa de conversão ideal pesa muito em relação a indústria e qual página do site que você está medindo.

Juntando tudo e melhorando o CRO

Agora você sabe o que é CRO, mas como começar a usá-lo?

Não existe uma solução única que conserte tudo com o CRO. O que funcionou para o site do seu amigo pode não funcionar para o seu.

Até mesmo seus concorrentes terão taxas de conversão diferentes que estão tentando otimizar. Então, não espere extrair uma solução mágica de um chapéu aqui.

Em vez disso, você precisa se concentrar nas melhores práticas para o CRO e implementar o que se aplica a você.


Melhores práticas de CRO: 5 coisas para implementar agora

Você tem muitas ferramentas à sua disposição, então agora é a hora de buscá-las e aproveitar seu poder.

Veja quais dados você tem disponível e o que seus números já estão informando sobre suas taxas de conversão. Aqui estão cinco ideias que recomendamos para você começar:

1. Descubra para onde seu tráfego está indo

Provavelmente, você deve ter o Google Analytics em seu site (e configurado corretamente). Se você fizer isso, descobrir de onde seu tráfego está chegando vai ser fácil.

Lembre-se: certas porcentagens de seus visitantes serão perdidas em qualquer oportunidade de transição. Em vez disso, procure taxas e saídas de rejeição inexplicáveis ​​ou acima da média.

2. Pense como o visitante do seu site

Sim, você é o proprietário do site, mas agora é a hora de entrar na pele (ou na tela) das pessoas que visitam seu site.
Olhe suas páginas:

  • Elas fluem bem?
  • Você pode navegar facilmente?
  • E quanto ao apelo à ação (CTA)? É claro, conciso e convincente?
  • Você sabe qual é a meta final por página?

Veja o que se destaca na página versus o que não se destaca. Qualquer coisa importante deve ser facilmente vista, como links, números de telefone e, claro, a CTA.

Por exemplo, se o seu USP (Unique Selling Proposition) que é o argumento que diferencia você dos seus concorrentes não estiver forte e convincente o suficiente, você pode reformulá-lo e chegar a uma CTA mais certeira.

3. Executar uma pesquisa

Não há mal em perguntar às pessoas em seu site o que elas querem ver mais ou o que pode melhorar.

Afinal, são as pessoas que você precisa impressionar. Você pode pesquisar via redes sociais, listas de e-mail ou até mesmo configurar uma pesquisa externa.

Outra opção é colocar uma pergunta na própria página a ser otimizada, questionando o visitante, por exemplo, se ele sentiu falta de alguma informação.

Sabendo o que seu público-alvo deseja, você pode configurar as páginas com frases que incluem palavras-chaves estratégicas e que deixarão claro os benefícios que você oferece.

4. Teste de Usabilidade

Tenha pessoas para testar seu site. Você pode usar sites como o Usertesting.com, por exemplo, para configurar uma tarefa para as pessoas preencherem em seu site.

Você pode até mesmo receber feedback (dependendo da ferramenta que você usa), respostas de áudio, etc., informando o que os usuários pensam.

Por exemplo: os menus do seu site são fáceis de compreender? O usuário entende sem dúvidas para onde aquele link irá levá-lo? Fazer esse teste pode te ajudar a melhorar coisas simples, mas que fazem toda a diferença na experiência do usuário.

5. Mapas de calor

Um mapa de calor mostrará a você onde os visitantes estão clicando mais e quais áreas estão “geladas”.

Os mapas de calor (heatmaps) também podem mostrar onde os visitantes esperavam que sua call to action (CTA) estivesse na página. Algumas boas ferramentas de mapa de calor: Tableau, SumoMe e CrazyEgg.

3 dicas rápidas que podem melhorar sua estratégia de CRO

Se você não tem tempo para testar ou simplesmente não tem paciência, aqui estão algumas ideias iniciais:

Altere o conteúdo: o conteúdo é a melhor maneira de melhorar suas taxas de conversão. Crie conteúdo atraente, fácil de ler (ou de ser consumido) e que flua bem na página.

Conduza os leitores em seus textos, eduque-os, dê-lhes algo de bom para levar, e então entregue sua CTA.

Um cuidado importante é não colocar mais de uma CTA na página. A chamada para duas ações diferentes pode confundir o usuário e no fim ele pode acabar não clicando em nenhuma das duas. Tenha um foco e trabalhe a CTA baseada nele.

Torne agradável aos olhos: ninguém gosta de um site que está bagunçado ou que não consegue descobrir onde está algo.

Você não pode esperar que as pessoas encontrem rapidamente sua página de contato quando não houver um link ou uma opção clara no menu.

Além disso, as cores podem afastar as pessoas. A psicologia das cores têm influência no marketing e pode melhorar as conversões em um site.

Acomode o tipo certo de usuário da web: você não terá duas pessoas idênticas olhando para o seu site. Mesmo gêmeos idênticos terão diferentes experiências de usuário.

Seu site precisa se concentrar em converter aqueles que são mais importantes para sua empresa. Ao invés de tentar otimizar para cada pessoa que pode acidentalmente clicar em um link até você.

Não coloque tudo na mesma cesta: o CRO não é tudo

Entender o que é CRO, as ferramentas e como colocá-las em prática é uma parte importante, mas não é tudo. Afinal, quando falamos de tendências de Marketing Digital, existem muitas possibilidades para divulgar e acelerar seu negócio.

Eu sei, nós passamos todo esse tempo respondendo a pergunta épica “O que é CRO?” e agora estou concluindo dizendo a você para esquecer isso.

Antes de levantar as mãos e ir embora, ouça atentamente:

CRO é importante, mas dificilmente é o único elemento em que você precisará se concentrar em sua estratégia de marketing. Se você se concentra exclusivamente no CRO, está deixando de fora um grande potencial de aprimoramento.

As taxas de conversão não são a única resposta para o seu problema. Se você focar apenas nelas, poderá refletir sobre dados irrelevantes.

Outras coisas que sugerimos que você leve em consideração incluem:

Uma conversão mais alta não equivale a um desempenho superior: é verdade. Um dia você pode dobrar conversões, e no dia seguinte diminuir em 80%.

Nem todas as visitas são oportunidades de conversão: as landing pages devem ter taxas de conversão mais altas. No entanto, alguém que esteja verificando o status de um pedido não precisa necessariamente converter. Portanto, lembre-se da página que você está visualizando antes de assumir que o CRO precisa ser melhorado.

Um conteúdo envolvente pode reduzir a conversão também: você pode ter adicionado um novo conteúdo, que é sempre um bônus. No entanto, suas conversões agora diminuíram.

A diminuição é porque mais pessoas estão visitando para ler o conteúdo, mas não necessariamente comprando no mesmo dia.

A queda nas conversões não significa que elas não voltarão. Em vez disso, você precisa garantir que seu conteúdo as faça voltar e então elas acabam comprando.

Então, o que é CRO?

Agora é a hora de aproveitar o conhecimento que você acabou de aprender e implementá-lo.

Dê uma olhada em seus objetivos, defina-os para o seu site e, apenas, o seu site.

Em seguida, comece a implementar seu plano de otimização de conversão (CRO).

Se você quiser aumentar sua lista de e-mail, certifique-se de que o leitor saiba que você quer que eles participem; e, dê-lhes uma boa razão para fazê-lo.

Se você quer que as pessoas comprem, crie um site que torne seus produtos irresistíveis e combine com conteúdo que faz os leitores tremerem de alegria ao clicar no botão “adicionar ao carrinho”.

Enquanto o SEO otimiza o seu site para os motores de busca, o CRO é o que ajuda a transformar esses visitantes em clientes reais.

Então, quando você estiver avaliando seu site e todas os acrônimos, não se esqueça de que o CRO também é vital.

Solicite uma consultoria gratuita de Audio Marketing e descubra como essa metodologia pode ajudar a estratégia digital da sua empresa a engajar mais seus visitantes e gerar mais leads e vendas.